Supertaça 2014

10-08-2014 23:33

Nove anos depois, Benfica volta a levantar a Supertaça

Encarnados conquistaram a sua quinta Supertaça, ainda longe das 20 do FC Porto e sete do Sporting.
Benfica festeja Supertaça 2014 em Aveiro
Foto: ESTELA SILVA/LUSA

Jogadores festejam no relvado do Estádio Municipal de Aveiro

Por João Agre sapodesporto@sapo.pt

Desde 2005 que o Benfica não levantava a Supertaça e, este domingo, voltou a fazê-lo ao vencer o Rio Ave em Aveiro nas grandes penalidades (3-2), após o nulo durante os 120 minutos. Depois de ter perdido o troféu para o FC Porto no início da época 2010/2011, o Benfica não falhou desta vez e conseguiu ser mais forte - através do guarda-redes Artur - do que a formação de Vila do Conde, com destaque para a excelente primeira parte no tempo regulamentar. O guarda-redes brasileiro da Luz foi o herói do encontro ao defender três grandes penalidades.

Quanto ao onze inicial do Benfica, confirmaram-se as presenças de Luisão, depois de bastante tempo lesionado, e de Enzo Pérez, muito cobiçado pelo Valência de Espanha neste mercado de verão, que termina a 31 de agosto. Os dois jogadores fizeram parte do onze apesar de não terem jogado na pré-temporada

Do lado do Rio Ave, finalista vencido da Taça de Portugal, os reforços Cássio, Prince, Pedro Moreira e Del Valle fizeram parte dos planos de Pedro Martins. O egípcio Hassan, autor do único golo dos vila-condenses na terceira pré eliminatória da Liga Europa, também alinhou, assim como Ukra.

A primeira parte foi totalmente dominada pelo Benfica, que entrou muito bem no encontro, à procura do golo desde o primeiro minuto. Contudo, à medida que o relógio do Estádio Municipal de Aveiro ia avançando, as muitas oportunidades desperdiçadas começaram a tornar-se desesperantes, tanto para jogadores, treinador e adeptos. Ao minuto 40, o Benfica já tinha feito 16 remates, contra apenas dois do Rio Ave, com uma posse de bola de 67 por cento.

Perto do apito para o intervalo, o guarda-redes Artur tentou fintar dois adversários, mas deixou a bola à disposição do ex-Paços de Ferreira Del Valle que, por muito pouco, não conseguiu o remate para uma baliza deserta. Os adeptos encarnados assobiaram o 'percalço' do brasileiro, consciente que Jorge Jesus continua à procura de um guarda-redes titular, depois da saída de Oblak para o Atlético de Madrid.

Ainda sobre a primeira parte, nota muito positiva para o reforço Talisca, o médio ofensivo brasileiro de apenas 20 anos. Os seus 188 centímetros parecem não atrapalhar a sua técnica no momento de se desembaraçar do adversário.

Apesar da excelente atitude e das jogadas de mestre perto da área, o Benfica foi para o intervalo empatado a zero com o Rio Ave. A segunda parte começou exatamente como a primeira, com o Benfica à procura do golo e com uma atitude muito ofensiva. O Rio Ave lá ia passando despercebida em campo. Mesmo prevalecendo o domínio encarnado, o ritmo dos jogadores foi naturalmente baixando à passagem do minuto 70 e o Rio Ave tentou aproveitar, mas sem sucesso.

Até ao minuto 90, Benfica - que apresentava 70% de posse de bola - e Rio Ave não conseguiram marcar durante os 90 minutos de jogo e as duas equipas teriam mais meia hora para desfazer o nulo.

Durante o prolongamento não houve golos e a decisão do vencedor foi 'empurrada' para a marca das grandes penalidades. Aqui, Tarantini e Derley começaram por falhar, Filipe Augusto e Ukra marcaram para o Rio Ave mas também Lima e Tiago não falharam para os encarnados. Artur defendeu o remate de Diego Lopes e, de seguida, Luisão rematou certeiro para o fundo das redes. No penálti decisivo para os vila-condenses, Tiago Pinto falhou e a Supertaça voltou para a Luz.

Jorge Jesus tornou-se no primeiro treinador a conquistar os quatro troféus nacionais no mesmo ano.

Conteúdo publicado por Sportinforma