A primeira-mão da final da Taça da Ásia já não se vai realizar em Pyongyang, capital da Coreia do Norte. A Confederação Asiática de Futebol resolveu mudar o jogo da primeira-mão entre os norte-coreanos do 4.25 Sport Clube e o Al Ahed, do Líbano, para Shanghai, China, na sequência dos incidentes ocorridos no jogo entre as duas seleções da Coreia na semana passada, em Pyongyang.

Apesar de o organismo não referir os motivos, os media internacionais sublinham que foram as peripécias do jogo entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul, de apuramento para o Mundial2022 (terminou 0-0) a estarem na origem desta decisão.

A AFC (Asian Football Confederation, em inglês) diz que a mudança prende-se com questões logísticas. O organismo sublinha que foi alertado pelos parceiros comerciais sobre os desafios do "produto final de uma transmissão televisiva" do jogo da primeira-mão da final em Pyongyang, entre o 4.25 Sport Clube da Coreia do norte e o Al Ahed, do Líbano.

"Após cuidada consideração, a AFC vê-se obrigada a mudar o local da final para um campo neutro", termina o organismo.

Gianni Infantino, presidente da FIFA, foi um dos poucos adeptos a marcar presença no estádio mas sublinhou que ficou desapontado ao perceber que não havia público no estádio no Coreia do Norte-Coreia do Sul.

O referido jogo entre as duas seleções da Coreia foi jogado sem público no estádio e sem a presença de jornalistas internacionais. O regime de Pyongyang não permitiu a transmissão televisiva e só disponibilizou as imagens do jogo, 24 horas depois. Quem quisesse saber mais sobre o jogo tinha de se socorrer do site da FIFA, onde apenas eram lançados dados sobre substituições e cartões. Uma decisão que irritou os parceiros comerciais da Confederação Asiática de Futebol.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.