Resumo

Um golo de Otávio foi suficiente para o FC Porto levar hoje de vencida os ingleses do Fulham por 1-0, naquele que foi o teste de maior exigência até ao momento dos 'azuis e brancos' nesta pré-temporada.

O único tento da partida surgiu aos 29 minutos, num pontapé de bicicleta de Otávio, na recarga a uma primeira tentativa de Soares que Bettinelli defendeu com o pé.

A partida, que se disputou no Estádio Municipal de Albufeira, não voltou a sofrer alterações no marcador, tendo os dois técnicos depois aproveitado para rodar os seus jogadores na segunda parte.

Os reforços

Saravia: Titular no lado direito da defesa portista, o argentino começou por demonstrar algumas dificuldades nos duelos com Kebano, mas com o decorrer do tempo foi melhorando os processos defensivos. Mostrou-se bastante aguerrido, mas discreto no apoio ao ataque.

Marcano: Formou dupla com Pepe no eixo da defesa até ao minuto 62, voltando a mostrar a sobriedade dos primeiros tempos no FC Porto, nas (poucas) vezes em que foi chamado a intervir. É certo que o regresso do espanhol ao Dragão não reuniu o consenso dos adeptos, mas a exibição desta terça-feira deixa bons indicadores para o que aí vem.

Nakajima: O japonês também foi titular na equipa 'azul e branca' e ao minuto 28 obrigou Bettinelli a aplicar-se, depois de ter servido Corona nas costas da defesa inglesa. Mostrou alguns dos pormenores que o fizeram destacar-se no Portimonense, na temporada passada, mas nota-se que ainda não está completamente entrosado na equipa.

Zé Luís: Entrou aos 62 minutos para liderar o ataque e acabou por sair aos 82'. Demonstrou mobilidade para aparecer entre os centrais, mas não teve bola, também por força das muitas alterações promovidas por Sérgio Conceição e Scott Parker na segunda parte.

Luis Díaz: Tal como Zé Luís, o extremo colombiano também só esteve 20 minutos em campo, aparecendo muito pouco em jogo.

Os jovens

Diogo Costa: Foi uma das novidades entre os eleitos do técnico portista, tendo atuado durante toda a primeira parte. Não obstante o bom arranque do Fulham, em que Kamara ainda chegou a assustar, acabou por ter pouco trabalho.

Romário Baró - Entrou no arranque da segunda parte, para a posição de ala (apesar de ser médio-centro), tendo saído aos 83 minutos. Apanhou a fase mais monótona do jogo.

Tomás Esteves - Ninguém diria que tem apenas 17 anos, muito por culpa da sua maturidade em campo. Mostrou segurança no lado direito da defesa, o que lhe poderá dar direito a algumas oportunidades durante a época, até porque Saravia está longe de estar 'no ponto'.

Diogo Queirós - Entrou aos 68 minutos para fazer dupla com Osorio no eixo da defesa e não tremeu diante dos ingleses. Ainda assim, o panorama da titularidade continua distante, face à forte concorrência de Pepe e Marcano.

Diogo Leite - Defesa central de raiz, acabou por jogar na lateral esquerda face à gripe que afastou Manafá da partida. Teve a oportunidade de envergar a braçadeira de capitão após a saída de Danilo.

Madi Queta e Fábio Silva - Ambos entraram na reta final da partida, mas ainda tiveram tempo para mostrar alguns pormenores interessantes, algo expectável em qualquer jovem futebolista que procura conquistar a confiança do seu treinador. Haverá oportunidade para mais, certamente.

Reações

Sérgio Conceição: "Foi um jogo de preparação, onde temos muita gente nova. É importante começar a perceber o que queremos para a equipa. O trabalho tem sido bom. Era importante esse trabalho que fazemos ser correspondido em campo. Depois dos dez minutos iniciais criámos várias situações de golo. Na segunda parte, com algumas mexidas, o ritmo baixou um pouquinho, mas estou contente."

Otávio: "Acho que foi uma vitória bem conseguida. Foi bom para trabalhar os nossos posicionamentos, e o entrosamento com novos jogadores. O mais importante é a vitória e dar continuidade ao trabalho. Golo? É sempre bom marcar, mas o mais importante é a vitória e o trabalho."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.