Portugal venceu a Arábia Saudita por 3-0 no primeiro teste da seleção de Fernando Santos para o Mundial'2018. O selecionador nacional promoveu várias estreias num jogo que permitiu a observação em competição de vários jogadores menos utilizados. A Arábia Saudita é um dos possíveis adversários de Portugal na Rússia, mas em Viseu a formação saudita demonstrou poucos argumentos para fazer frente aos atuais campeões da Europa e o resultado final poderia ter sido por números mais expressivos.

No primeiro teste da seleção nacional para o Mundial'2018, Portugal apresentou-se no Estádio do Fontelo, em Viseu, sem alguns dos principais titulares, nomeadamente a ausência do capitão Cristiano Ronaldo. No entanto, Fernando Santos manteve a matriz da seleção das quinas e apostou na titularidade de Gonçalo Guedes ao lado de André Silva com um meio campo reforçado por Danilo Pereira, João Mário, Manuel Fernandes e Bernardo Silva. Na defesa, Anthony Lopes foi titular na baliza com Pepe e Luís Neto a formar a dupla de centrais. Nas alas, Kévin Rodrigues jogou no lado esquerdo e fez a sua estreia na equipa principal de Portugal com João Cancelo no lado direito.

E como seria de esperar, Portugal não teve grandes dificuldades em assumir desde o primeiro minuto o comando da partida ao jogar em alta intensidade. As oportunidades de golo iam surgindo com naturalidade, mas faltava algum acerto aos jogadores mais ofensivos. Manuel Fernandes surgiu em grande plano ao longo da primeira parte com tentativas de remate de meia distância e acabou por ser premiado aos 32' minutos com uma assistência de Gonçalo Guedes para o 1-0. O extremo do Valência conseguiu furar pelo lado direito e cruzar rasteiro para o médio do Lokomotiv de Moscovo, que só teve de rematar para o fundo da baliza.

Ao intervalo, Portugal ia em vantagem para o balneário, mas o resultado tangencial não representava a qualidade de jogo ofensiva demonstrada pela equipa de Fernando Santos. André Silva e Gonçalo Guedes criaram muitas situações de perigo juntamente com Bernardo Silva e Manuel Fernandes, mas no arranque do segundo tempo o resultado era ainda de 1-0. Em contraste, a Arábia Saudita não criou qualquer lance de perigo junto à baliza de Anthony Lopes, e como se costuma dizer na gíria 'limitou-se a ver jogar'.

A segunda parte arrancou com outra intensidade, mas com maior objetividade por parte de Portugal. Fernando Santos lançou no jogo Ricardo Pereira para ocupar o lugar de João Cancelo e o jogador do FC Porto acabaria por ser determinante na jogada do segundo golo ao fazer uma excelente combinação com Bernardo Silva. O jogador do Manchester City conseguiu arranjar espaço e com um toque subtil assistiu Gonçalo Guedes, que em zona frontal só teve de rematar para o 2-0 aos 52' minutos.

Os dois golos de vantagem de Portugal deram outra tranquilidade apesar da Arábia Saudita não criar grandes problemas, e Fernando Santos decidiu lançar mais três jogadores para 'refrescar' as ideias da equipa com a entrada de Gelson Martins, Bruno Fernandes e Edgar Ié. O extremo do Sporting entrou a 'todo o gás' e reforçou a pressão de Portugal no corredor direito já sem Bernardo Silva em campo.

Apesar do domínio continuar a pertencer a Portugal, a equipa de Fernando Santos mostrou-se mais objetiva quanto à intensidade no jogo e teve de ouvir das bancadas um audível 'só mais um' para forçar o terceiro golo no jogo. Num jogo marcado também pelo cariz solidário fora de campo, João Mário não quis deixar os adeptos sem a concretização de um desejo final e numa jogada individual de elevado recorte técnico atirou de longe para o 3-0, naquele que foi o primeiro golo do internacional português do Inter de Milão em jogos oficiais pela seleção principal de Portugal.

Notas de destaque

Manuel Fernandes: O médio português regressou à seleção principal de Portugal e mostrou serviço com uma primeira parte de elevada qualidade, procurando sempre o remate de meia distância, e não só.

Gonçalo Guedes: O jovem extremo do Valência jogou com o número 7 de Cristiano Ronaldo e provou porque está em destaque na liga espanhola. Vários remates, uma assistência e um golo brindaram uma exibição sólida e consistente.

Gelson Martins: Entrou com vontade de acelerar o jogo e criar rupturas na defesa contrária. No pouco tempo que teve em jogo, o extremo do Sporting fez quase tudo bem e mostrou que será um dos fortes candidatos a marcar presença na Rússia.

Ricardo Pereira: A entrada no jogo do lateral direito do FC Porto mexeu com a equipa e deu mais profundidade ao ataque de Portugal. A jogada do segundo golo começa nos seus pés.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.