A Argentina perdeu hoje por 3-1 com a Venezuela, em encontro particular de preparação para a Copa América em futebol, disputado no Wanda Metropolitano, em Madrid, apesar do regresso de Lionel Messi.

O jogador do FC Barcelona, que não atuava na formação 'albi celeste' desde o Mundial2018, até esteve em bom nível, nomeadamente a assistir, mas os seus companheiros de equipa raramente deram bom seguimento às suas ações.

A Venezuela entrou, praticamente, a ganhar, com um golo do avançado Salomon Rondón, que ganhou em velocidade a Mercado, dominou a bola e bateu Armani com um remate colocado, depois de um passe em profundidade de Rosales.

Com dificuldades em impor-se pelo coletivo, a Argentina respondeu por intermédio de Messi, que, em dia de 129.ª internacionalização, ofereceu dois golos a Lautaro Martínez (30 e 43 minutos) e tentou a sua sorte de fora da área (38).

Mesmo pouco tempo com bola, os venezuelanos foram ripostando sempre com muito perigo, com Machís (35 minutos) e Rondón (40) a ameaçarem o segundo, que Jhon Murillo, avançado do Tondela, concretizou mesmo, com um colocado remate de fora da área (44).

Na segunda parte, a insistência de Messi deu, finalmente, frutos, aos 59 minutos, com o '10' a servir Lo Celso, na esquerda, e este a centrar para o desvio vitorioso de Lautaro Martínez.

As possibilidades de a Argentina conseguir a reviravolta esfumaram-se, porém, aos 75 minutos, quando Joseph Martínez converteu, com classe, uma grande penalidade.

Até final, os comandos de Lionel Scaloni ainda tentaram, pelo menos, reduzir a diferença e Messi ofereceu mais um 'golo cantado', com um centro da esquerda, desta vez a Dario Benedetto, que cabeceou ao lado, aos 86 minutos.

Após o encontro, a Federação Argentina (AFA) anunciou que Messi acusou dor na zona "pública bilateral" e vai falhar o particular de terça-feira em Marrocos, tal como Gonzalo Martínez, este devido a uma "lesão muscular do bíceps femoral esquerdo".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.