O Brasil, o Uruguai, a Argentina e a Colômbia venceram na sexta-feira os particulares disputados nos Estados Unidos, os primeiros que cumprem depois da realização do Mundial de futebol de 2018, disputado na Rússia.

Em Nova Jérsia, os ‘canarinhos’ venceram os anfitriões norte-americanos por 2-0, com dois golos na primeira parte, um de Roberto Firmino, aos 11 minutos, e outro de Neymar, que faturou de grande penalidade, aos 43.

Os portistas Felipe e Éder Militão não foram utilizados pelo selecionador Tite.

Por seu lado, o Uruguai dominou por completo o México, ‘empurrado’ por uma grande exibição de Luis Suárez, que marcou dois golos, aos 32 minutos, de livre direto, e aos 40, de penálti, e ainda assistiu, de ‘letra’, Gaston Pereira, aos 59.

Antes, José María Giménez deu uma primeira vantagem aos uruguaios, aos 21 minutos, com Raúl Jiménez, emprestado pelo Benfica ao Wolverhampton, a empatar aos 25, de penálti. Aos 75, falharia outro castigo máximo, pela primeira vez na carreira.

No embate disputado em Houston, o central ‘leonino’ Coates não saiu do banco dos suplentes.

Sem Lionel Messi, que pediu dispensa para estes primeiros particulares após o Mundial2018, a Argentina ganhou por 3-0 à Guatemala, com três golos na primeira parte, de Gonzalo Martínez (penálti), Giovani Lo Celso e Giovanni Simeone.

Em Los Angeles, o benfiquista Franco Cervi estreou-se pela seleção ‘albi-celeste’, ao entrar aos 66 minutos. Pelo contrário, os ‘leões’ Acuña e Battaglia não foram utilizados.

Mais complicado, foi o triunfo da Colômbia, que, em Miami, esteve a perder com a Venezuela – golo de Darwin Machís, logo aos quatro minutos – e acabou por vencer por 2-1, com tentos do ex-portista Radamel Falcao, aos 55, e de Yimmi Chará, aos 90.

Também nos Estados Unidos, em Nova Jérsia, o Equador bateu a Jamaica por 2-0, com golos de Enner Valência, aos 17 minutos, de grande penalidade, e Renato Ibarra, aos 49.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.