O novo selecionador da Holanda, Ronald Koeman, reconheceu hoje laços afetivos a Portugal, mas assumiu o firme desejo de vencer segunda-feira a ‘equipa das quinas’ em Genebra, Suíça, lembrando que no futebol não há amigos.

“Sabemos que no futebol não há jogos amigáveis, mas que todos querem ganhar, independentemente do nome do adversário”, resumiu o técnico, que se estreou na sexta-feira no comando da ‘laranja mecânica’, com derrota caseira por 0-1 ante a Inglaterra.

Koeman treinou o Benfica em 2004/05 e orientou vários jogadores portugueses em Inglaterra, mas diz que “todos os jogos como selecionador são especiais”.

“Tenho muito boas memorias do ano no Benfica, uma equipa muito grande no mundo. Foi um ano fantástico. E sempre trabalhei com jogadores portugueses, como no Southampton com o José fonte e o Cedric Soares. Vai ser bonito cumprimentá-los. Temos uma boa amizade”, afirmou.

Na segunda-feira, Koeman quer começar a construir o futuro da Holanda – depois de ter sido semifinalista no Mundial2014 do Brasil, falhou o Euro2016, que Portugal venceu, e o Mundial2018 – e o próximo teste é frente a um adversário que sempre a equipa ‘laranja’ nas três vezes em que se defrontaram em fases a eliminar de Europeus e Mundiais.

“Somos dois países importantes no futebol. Sabemos que ultimamente Portugal se qualificou sempre nos torneios grandes. Tem muito boas equipas, fortíssimas. E um jogador [Cristiano Ronaldo] que pode ser o melhor do mundo. Em todos os jogos, no seu clube e na sua seleção, marca a diferença”, elogiou.

Ronald Koeman aplaudiu a qualidade e “jogo bonito” de Portugal, motivo pelo qual o escolheu – tal como à Inglaterra – para testar e poder “melhorar” o desempenho da sua equipa antes de iniciar a qualificação para o Euro2020, o seu próximo grande objetivo

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.