Jorge Sampaoli, selecionador da Argentina, não esconde a satisfação por poder treinar um jogador como Lionel Messi. No livro ‘Mis Latidos’, que será lançado em abril, o técnico comparou o Mundial 2018 a uma pistola apontada ao jogador do Barcelona.

"Este tipo de futebol faz mal até ao Messi. Apontam-lhe uma pistola à cabeça, que se chama Campeonato do Mundo, e se não o ganhar, disparam e matam-no. É uma loucura que não possa desfrutar do seu talento", lamentou Sampaoli, que não se coibiu nos elogios ao craque.

"Treino o melhor jogador da história. Está acima de todas as variáveis normais. Um tipo que se mantém dez anos como o melhor do mundo modifica a tua forma de trabalhar. É difícil assumir esse papel quando o teu jogador sabe que é melhor do que tu. É uma responsabilidade, mas também uma diversão", salientou.

O selecionador argentino refere ainda que é "complexo" orientar uma equipa "que tenha de se entender com o Messi do que criar um plano coletivo com jogadores normais".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.