O Brasil levou a melhor no 'Superclássico' sul-americano de hoje, um particular de futebol jogado em terreno saudita, com um golo de João Miranda, aos 90+3, a passe de Neymar, a valer o triunfo do 'escrete'.

No conjunto de jogos particulares de hoje, a utilizar a 'janela' para jogos de seleções no calendário, tanmbém sobressaiu outro 'dérbi' regional de muito boa qualidade, o Bélgica-Holanda - foi no estádio Rei Balduíno e fechou com um empate 1-1.

Um treinador português esteve em ação esta tarde e teve razões para sorrir. O Irão, de Carlos Queiroz, recebeu em Teerão a Bolívia, para ganhar por 2-1.

Jahanbakhsh abriu, aos 17 minutos, para os iranianos, e Rudy Cardozo empatou, aos 51. Torabi, aos 63, garantiu a vitória à formação asiática.

Em Jeddah, no estádio Rei Abdullah, o grande ausente foi o argentino Lionel Messi, enquanto que o Brasil se apresentou com a sua estrela máxima, Neymar. Mais uma vez, decisivo, já que cobrou com precisão 'milimétrica' o canto que deu no golo de João Miranda.

Era a centésima vez que as duas seleções se enfrentavam e, por isso, a festa teve palco neutro e chamou-se de 'Superclássico Championship', encarado com evidente interesse tanto pelos pupilos de Tite como pelos de Lionel Scaloni.

Destaque, no 'onze' da Argentina, para a presença de Battaglia, jogador do Sporting, a titular. Mas mais dois 'portugueses' viriam a ser chamados a jogo, no decorrer da segunda parte: outro sportinguista, Marcos Acuña, e Salvio, do Benfica.

Dos brasileiros que jogam em Portugal, apenas Éder Militão entrou nas contas de Tite, aquando da convocatória, mas o portista acabou por não sair do banco dos suplentes - a exemplo do argentino do Benfica Cervi, na seleção das 'pampas'.

O jogo acabou por ser 'sensaborão', sem grandes ocasiões e muito faltoso, sobretudo do lado dos argentinos, tecnicamente mais débeis.

Neymar teve ocasião de brilhar, mesmo no fim, com o canto bem medido para o cabeceamento de João Miranda, a subir mais alto do que Otamendi, antigo jogador do FC Porto.

Já em Bruxelas, houve melhor futebol, com a Bélgica na máxima força e a provar que continua com um dos ataques mais demolidores da atualidade. Não chegou para ganhar, no entanto, com a muito jovem seleção 'laranja' a recuperar de uma desvantagem cedo consentida e chegar ao 1-1.

Em jogo com arbitragem do português Artur Soares Dias, a Bélgica chegou ao golo no minuto cinco, através do 'napolitano' Dries Mertens. A jogar bem, com muitos jovens com vontade de dar nas vistas, a Holanda empatou aos 27, por Groeneweld, de contra-ataque.

Depois da vitória sobre a Alemanha, a Holanda 'tonifica-se' com mais um bom resultado e continua a depender apenas de si para ganhar o grupo 1 da Liga A das Nações, mesmo depois da vitória da França sobre a Alemanha, hoje também (2-1).

Entre equipas europeias, mas de 'nível B', jogou-se o Suécia-Eslováquia, que terminou com 1-1, e o Dinamarca-Áustria, que os nórdicos venceram por 2-0.

Também hoje, Omã e Equador empataram, sem golos, e o Uzbequistão ganhou 2-1 ao Qatar.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.