Cinco lojas, um ginásio e um centro de estágio foram inauguradas na noite desta quarta-feira pela direção do Clube Nacional de Benguela, no âmbito do centenário da agremiação, fundada a 24 de Junho de 1920.

As lojas foram “baptizadas” com os nomes de antigas estrelas do clube em várias modalidades, nomeadamente, Amílcar Silva, Fabrício Akwá, Pedro Garcia, Sérgio Vasconcelos e Bebé Matos.

Em declarações à Angop, o presidente do Nacional de Benguela, Ivanir Coelho, afirmou que pretende organizar e resgatar a mística do clube, com o apoio dos atletas, sócios e amigos da agremiação.

O responsável considera o Nacional um “monstro adormecido”, mas mostra-se confiante na inversão da situação.

“Queremos tornar a sede do clube um local aprazível e acolhedor, onde os sócios e amigos possam interagir e encontrar soluções para o seu crescimento”, enfatizou.

Ivanir Coelho apontou a formação como uma das apostas para o surgimento de atletas da qualidade de Pedro Garcia, Palhares, Dias, Benchimol, Pepino, Pinto Leite, Agostinho Tramagal, Santana, Akwá, Filomena Trindade, Odete Tavares, entre outros.

Para o presidente, tal só será possível com trabalho e saúde económica, daí a aposta na rentabilização do clube e procura de um patrocinador oficial.

Pedro Garcia, antigo futebolista do clube, considera que o Nacional tem uma trajetória como poucos em Angola, com a conquista de cinco campeonatos distritais, estando em pé de igualdade com outros históricos como o ASA, Sporting de Luanda, Ferroviário da Huíla e Independente de Porto Alexandre.

O antigo capitão da seleção angolana aconselha a aposta na organização e recuperação das infraestruturas, bem como o resgate e aumento da massa associativa como parte da solução para o reerguer da agremiação.

O clube Nacional de Benguela movimenta mas de 600 atletas nas modalidades de futebol, xadrez, andebol e judo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.