O angolano Fábio Abreu está em boa posição para se sagrar melhor marcador da I Liga Portuguesa de futebol, 32 anos depois de o seu compatriota Matanu Garcia, ou simplesmente "Vata", ter alcançado tal proeza.

Na terceira posição entre os goleadores da prova, com 11 golos ao serviço do Moreirense, Fábio Abreu tem, até agora, menos cinco tentos que o seu compatriota quando conquistou o troféu do campeonato luso.

Nascido a 19 de Março de 1961, na província do Uíge (59 anos), Vata surpreendeu, na altura, a crítica desportiva ao conquistar a bota de ouro de 1988, ao serviço do Sport Lisboa e Benfica, com 16 remates certeiros.

Mas entre os angolanos que se notabilizaram no futebol português destaque vai para Rui Jordão, duas vezes artilheiro do campeonato português, uma vez pelo Benfica, que representou nas épocas de 1971/1972 e 1975/1976, e outra pelo Sporting (1977/1978 e 1986/1987).

Natural de Benguela, Jordão foi baptizado “Gazela” devido a velocidade com que conduzia a bola. Faleceu em 2019, aos 67 anos de idade.

Agora pode ser a vez de outro angolano fazer história. Fábio Abreu, nascido a 29 de Janeiro de 1993 (27 anos), evolui no Moreirense, quarta-feira rubricou o seu 11.º golo da época, sendo já o terceiro melhor marcador da prova, com menos seis tentos que o líder da tabela.

No decurso da 28.ª jornada, a lista é comandada por dois jogadores do Benfica, Carlos Vinicius, primeiro com 17 golos, e Pizzi, segundo com 15, seguidos por Fábio Abreu na 3.ª e Mehdi Taremi, do Rio Ave, também com 11 golos, na 4.ª posição.

Abreu, que em 2019 se estreou a marcar pela selecção nacional de Angola na vitória de 2-1 contra a Gâmbia na corrida ao mundial de Qatar 2022, é pretendido por várias equipas europeias, justamente, pelo seu apurado faro para o golo.

Recentemente, a imprensa internacional anunciou o interesse pelos seus préstimos por parte do Real Zaragoza de Espanha.

Segundo o sítio local "eldesmarque.com", a formação europeia procura um reforço e o nome do atacante surge entre as opções da equipa da LaLiga SmartBank (segunda divisão espanhola).

Com contrato com o Moreirense até 2022 e uma cláusula de rescisão de 5 milhões de euros, o goleador é igualmente pretendido pelos espanhóis do Getafe, Leganés e Eibar, além do Nice de França.

Até terminar o campeonato, o angolano tem seis jogos para fazer por merecer o troféu, ou seja, marcar o máximo possível e esperar que os concorrentes façam o contrário.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.