O golo solitário de Dago, aos 74 minutos, permitiu ao 1º de Agosto afastar, esta quarta-feira o Petro de Luanda da possibilidade de revalidação da Taça de Angola em futebol, ao perder (0-1) no jogo da meia-final da prova, disputado no Estádio 11 de Novembro, em Luanda.

Pautado pela tónica do equilíbrio, com este triunfo apertado, os comandados do treinador bósnio Dragan Jovic demonstraram maior capacidade de aproveitamento das oportunidades surgidas, para a desolação do conjunto orientado pelo espanhol António Cosano, que também não conseguiu o campeonato (Girabola2018/19).

Inicialmente as duas formações entram determinados, numa clara intenção de visar a baliza. Aos 15, maior ascendente dos agostinos que passam a incomodar com alguma frequência o reduto petrolífero.

Em resposta, Karanga obriga a uma defesa arrojada por parte do guarda-redes Neblu, aos 20.Tiago Azulão não consegue aproveitar posição privilegiada, aos 27, na área do 1.º de Agosto.

O referido jogador procede da mesma forma, mas o esférico é prontamente safado pelo guardião contrário, aos 38. Nesta toada, em que se vislumbra hostilidades mutuas, o desafio chega ao intervalo, com o resultado em branco.

No reatamento, o equilíbrio se mantém e o irreverente jovem Zito (17 anos) perde uma soberana oportunidade de visar a baliza do Petro, aos 68, passando a bola por cima da baliza, para o desagrado dos adeptos (Karangós) da sua equipa, em maioria nas bancadas, que já se aprestavam nos festejos.

Nelson rende Zito, no 1.º de Agosto, aos 69, talvez pela sua ingénua atitude, que desaponta o seu treinador. O capitão petrolífero Job também é incapaz de dar sentido positivo ao esférico, aos 70.

Decorridos 74, em virtude da pressão exercida, Dago inaugura para o 1.º de Agosto, na sequência de um forte remate do lado esquerdo da baliza do Petro, que provoca efervescência e rejúbilo por parte da claque “rubro e negra”, bem como o silêncio da outra parte. O passe resulta de uma jogada de insistência por parte do seu colega Ary Papel.

Isaac substitui Tony, no Petro, aos 78, e Mateus entra para o lugar de Job.

Igualmente, Wilson rende Manguxi, aos 86, na mesma formação. Já na fase derradeira, Bua entra no posto de Mabululu, no 1.º de Agosto, que até ao apito final do árbitro Hélder Martins, conserva o resultado favorável.

Assim, o Petro é arredado da Taça de Angola. Depois da conquista do GirabolaZap2018/19, os “militares” têm agora a possibilidade de fazer a “dobradinha”, caso vençam na final o Desportivo da Huíla, que afastou o Interclube (1-0).

A partida acontece já no próximo sábado, no estádio 11 de Novembro. Os “petrolíferos” são os detentores do troféu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.