Na partida referente a 20ª jornada do campeonato, em que as duas equipas terminaram empatadas (1-1), o angolano inaugurou o marcador com um golaço, cujas imagens estão a “rodar” o mundo, merecendo elogios por parte da imprensa e amantes do futebol no geral.

Nos minutos de compensação da primeira parte, Djalma aproveitou um ressalto da área, travou o esférico com o peito e rematou de primeira com o pé esquerdo, dando um efeito “enganador” na bola, batendo o guarda-redes adversário.

Com este golo, um dos melhores da temporada, até ao momento, o extremo da selecção nacional tem fortes hipóteses de concorrer ao prémio “Puskas”, que premeia o melhor de cada ano no mundo. O actual detentor do troféu é o egípcio Mohamed Salah, com o tento apontado diante do Everton, a contar para liga inglesa em 2018.

Além do Puskas, Djalma Campos, que representou o Maritimo e FC Porto, ambos em Portugal, também poderá concorrer para o troféu de melhor golo no campeonato turco, cujo detentor do troféu é o português Ricardo Quaresma, com o tento de trivela (sua especialidade) apontado, na temporada passada, ao Fenerbahçe.

O prémio Puskas, a vigorar desde 2009, é uma homenagem ao antigo futebolista húngaro Ferenc Puskas Biró, que actuou no Real Madrid na década de 1960.

Para competir entre os melhores golos, deve responder aos seguintes requisitos: Ser um golo bonito, não pode ser resultado da sorte ou de erros cometidos pelo adversário, deve estar apoiado no fair-play, ou seja, o jogador não pode ter-se comportado mal durante o jogo ou ser acusado de dopping, por exemplo e ter sido marcado entre Novembro do ano anterior a Outubro.

Cristiano Ronaldo (Portugal), Neymar (Brasil), Ibraimovic (Suécia), Jaime Rodriguez (Colômbia), são alguns dos vencedores do prémio.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.