O presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Pedro Neto, afirmou que saída de Joseph Blatter no comando da FIFA já era previsível, em função daquilo que foi o congresso do órgão que rege o futebol mundial decorrido em Zurique (Suíça), na última semana.

Em declarações ao canal desportivo da Rádio Nacional de Angola para reagir tal facto, referiu que o congresso ficou marcado por algumas inquietações apresentadas pelos seus participantes.

"Este cenário era previsível pelo facto de Blatter ter entendido que não tinha o suporte total e massivo da família do futebol e quiçá o seu mandato poderia ser caracterizado por bastante dificuldade para implementar o seu projecto e planos de reformas", referiu.

Adiantou que, por força de algumas reivindicações por parte de muitas confederações que participaram do evento, dava indícios de uma possível interrupção.

"A implementação das reformas que se pretendem para o desenvolvimento do futebol precisam do apoio de todos e sentimos durante o congresso que isso não havia de acontecer", esclareceu.

Joseph Blatter renunciou esta terça-feira, em conferência de imprensa, ao cargo de presidente da FIFA, apenas quatro dias após ser reeleito para um quinto mandato à frente do organismo que rege o futebol mundial - o qual liderou durante 17 anos, desde 1998.

O suíço, de 79 anos, convocou um congresso extraordinário, para eleição do seu sucessor, que deve acontecer entre dezembro deste ano e março de 2016.

Blatter tinha sido reeleito para um quinto mandato na última sexta-feira, dois dias depois de a FIFA ser “sacudida” por um verdadeiro “terramoto”, com a prisão de sete altos dirigentes que tinham viajado a Zurique para participar do último congresso, entre eles o brasileiro José Maria Marin, ex-presidente da CBF.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.