O CIES - Observatório do Futebol - publicou um estudo onde analisou a situação dos treinadores das 84 principais ligas do Mundo, entre janeiro de 2015 e dezembro de 2019. E o cenário não é animador: em média, um treinador faz 40,6 jogos antes de ser despedido.

A Liga boliviana emerge-se como sendo a pior para os treinadores, já que, durante esse período (entre janeiro de 2015 e dezembro de 2019), cada clube teve 9,1 treinadores. Em sentido contrário está a Suécia, onde cada clube teve 2,6 técnicos nesses cinco anos.

Entre o clubes analisados, o destaque vai para o Club Real Potosí, da Bolívia, que teve 20 treinadores, entre janeiro de 2015 e dezembro de 2019. Aqui, cada técnico durou, em média, 11,3 jogos.

Este ranking do CIES apenas inclui equipas que estiveram nas primeiras divisões durante o período do estudo. Dos 766 clubes analisados, só 20 tiveram apenas um treinador.

I Liga: Marítimo e Vitória de Setúbal são os piores, Benfica o mais estável

Entre janeiro de 2015 e dezembro de 2019, cada clube da Primeira Liga portuguesa teve, em média, 4,3 treinadores. Comparando com as cinco principais ligas europeias, só a Liga Espanhola fica à frente da portuguesa. Em La Liga, cada uma das 20 equipas teve 4,6 treinadores no período analisado. Segue-se a Série A (média de 3,9 treinadores por equipa), Bundesliga (3,8), Ligue 1 (3,4) e Premier League (3,2).

Em Portugal, o destaque, pela negativa, vai para o Marítimo e Vitória de Setúbal, que tiveram nove treinadores entre janeiro de 2015 e dezembro de 2019, com cada um a fazer, em média 18,7 jogos nos madeirenses e 18,8 nos sadinos. No lado oposto aparece o Benfica, com três treinadores, e com cada um a fazer 56,7 jogos de média. O FC Porto vem a seguir com quatro técnicos (média de 40 jogos por treinador).

Na Europa, o Chipre é o pior país para os treinadores. Em média, cada equipa teve 6,6 técnicos, entre janeiro de 2015 e dezembro de 2019. Entre as 31 países do Estado Económico Europeu (EEE), o FK Vojvodina emerge-se como o pior clube para um treinador: este emblema da Sérvia teve 13 técnicos no período analisado, com cada um deles a fazer 13,7 jogos de média. No sentido oposto estão o Újpest FC da Hungria, o St Johnstone FC e o Aberdeen FC da Escócia, o Odds BK e o Sarpsborg 08 da Noruega, o Zulte Waregem da Bélgica, FC Copenhaga da Dinamarca, clubes que só tiveram um técnico, de acordo com o estudo 297 do CIES - Observatório do Futebol.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.