O ex-futebolista internacional checo Tomas Repka, que representou a Fiorentina e o West Ham, foi hoje condenado a dois anos de prisão, por fraude, por decisão de um tribunal de recurso de Praga.

O tribunal da capital checa agravou para dois anos a sentença inicial, que tinha sido fixada em 15 meses, em fevereiro.

Repka, de 45 anos, foi considerado culpado de ter vendido a uma mulher, por 1,2 milhões de coroas (46.768 euros ao câmbio de hoje), em dezembro de 2016, um carro da marca Mercedes que não lhe pertencia e que usava sob contrato de ‘leasing’.

O antigo jogador conta já com um longo historial de casos com a justiça, tendo em 2015 e 2016 sido condenado a duas penas suspensas, por conduzir embriagado, e em 2018 uma outra pena de serviço comunitário, por não pagar a pensão de alimentos à ex-mulher.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.