Fernando Santos, Selecionador Nacional, abordou esta quinta-feira o tema dos dez jogadores nomeados ao prémio ‘The Best’, de melhor jogador do mundo para a FIFA.

Nomeado, pela segunda vez, entre os dez melhores treinadores do mundo, Fernando Santos lembrou que, apesar de não dar importância demasiada ao prémio, sempre que se está nomeado para um galardão tem-se expetativa de vencer

"Os prémios individuais resultam sempre do coletivo. Se não ganharmos coletivamente, dificilmente vamos depois ter prémios individuais. É um reconhecimento, é uma honra e um orgulho estar entre os dez nomeados. É importante para o futebol português, gratificante para nós e para o país ter um português entre os nomeados. Olho da mesma forma que olhei da última vez. Com a serenidade de quem fez bem o trabalho. Não tenho ansiedade, mas quem está nomeado acha sempre que era giro ganha", afirmou o técnico em declarações ao canal 11.

Para o selecionador nacional, Cristiano Ronaldo é o favorito ao prémio que distingue o melhor jogador do ano, não só pela época que realizou em Itália, mas também por tudo aquilo que demonstrou na Seleção Nacional.

"Na minha opinião sim, o Ronaldo merece ganhar. Para além do que fez na Juventus, que foi uma mudança grande na sua vida, foram muitos anos em Madrid, respondeu a grande altura no clube e na seleção. Quando juntamos tudo o que fez não tenho dúvidas que, na minha opinião, seria mais do que justo vencedor", vincou.

O elecionador nacional confessou ainda ser "anormal" a ausência de Bernardo Silva dos dez eleitos.

"Cada um escolhe quem quer, respeito sempre, mas há uma constatação que faço. Naquele lote de 10 é anormal que o Bernardo Silva não esteja. É mais um desses jogadores que fez tudo, no clube e na seleção nacional, ganhou a Liga das Nações, até foi o MVP, e acho que seria justo que o Bernardo estivesse junto do Cristiano Ronaldo nesta votação. Na minha opinião ganhava o Ronaldo e a seguir o Bernardo", sentenciou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.