O ex-futebolista Hélder Postiga é uma das novidades da direção da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), reeleita hoje com 90,2% dos votos, com o objetivo de “ser participativo, evoluir e aprender” com o trabalho desenvolvido.

“Orgulhoso por pertencer a esta federação. Quero ser participativo, quero evoluir, aprender, dar continuidade a este trabalho que tem sido desenvolvido na federação, que tem sido muito positivo e que, espero eu, continue a evoluir”, disse à agênci Lusa Hélder Postiga, à margem da tomada de posse dos órgãos sociais, na Assembleia-Geral eleitoral do organismo.

Acompanhando Hélder Postiga na direção presidida por Fernando Gomes, que concorreu sem oposição para um terceiro e último mandato, estarão os repetentes Humberto Coelho, João Vieira Pinto, Pedro Pauleta, José Couceiro, Pedro Dias, Mónica Jorge e Rui Manhoso, bem como o novo integrante José Alberto da Costa Ferreira, que presidia à associação de Viseu.

“É um início de aprendizagem, ir aprendendo e demonstrar a minha visão daquilo que poderá ser importante para ajudar a que a federação continue a crescer e a evoluir”, frisou.

O antigo avançado e internacional português em 71 jogos, nos quais marcou 27 golos, apontou para “um caminho de continuidade”, ambicionando juntar ao Euro2016 – que celebra hoje quatro anos -, e à Liga das Nações mais títulos no futebol sénior masculino, como projetado pelo presidente Fernando Gomes para o próximo mandato, até 2024.

“O passado recente demonstra o trabalho que tem sido realizado por esta federação, que tem juntado títulos. Acho que tem de ser este o caminho, um caminho de continuidade e, sempre que possível, conseguirmos títulos, que é isso que mostra que o trabalho que tem sido feito na Cidade do Futebol tem sido bom. Esse vai ser o nosso caminho, fazer com que os jogadores se sintam confortáveis para demonstrar melhor as suas capacidades”, expressou.

O presidente do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF), Joaquim Evangelista, enalteceu à Lusa a presença de vários ex-futebolistas na direção da FPF, que, para além de Hélder Postiga, conta com João Vieira Pinto, Pedro Pauleta e Humberto Coelho.

“É uma nota especial porque o Fernando Gomes concretizou um dos grandes objetivos quando iniciou o primeiro mandato, que era dar oportunidades aos ex-jogadores para poderem estar nos órgãos da direção. Acho que isso tem contribuído para uma mudança estrutural no futebol português”, sublinhou.

Aos 68 anos, Fernando Gomes foi reeleito pela terceira vez para o cargo, para um mandato até 2024, pela segunda vez sem oposição, depois de ter vencido as eleições de 2011 frente a Carlos Marta.

A direção foi eleita com 74 votos a favor (90,2%), três em branco e cinco nulos, sendo que votaram 82 dos 84 delegados inscritos.

Cláudia Santos é a cabeça de lista para o Conselho de Disciplina (CD), para suceder a José Manuel Meirim, Luís Verde de Sousa vai liderar o Conselho de Justiça (CJ), enquanto José Fontelas Gomes, Ernesto Ferreira da Silva e José Luís Arnaut se mantêm como líderes dos restantes órgãos, casos de Conselho de Arbitragem (CA), Conselho Fiscal (CF) e Mesa da Assembleia-Geral (MAG), respetivamente.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.