A Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol (APAF) inaugurou esta terça-feira, em Monte Abraão, Queluz, a sua nova sede, um anseio antigo de uma entidade que já vai a caminho de quatro décadas de existência.

Foi uma cerimónia apadrinhada por João Paulo Rebelo, secretário de Estado da Juventude e Desporto, e por Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, e que também contou com as presenças de Pedro Proença, presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, além de João Fontelas Gomes, presidente do Conselho de Arbitragem da FPF.

"Hoje é uma data simbólica. Começo por agradecer aos antigos árbitros e sócios a existência de uma associação que já tem 37 anos de vida. A APAF é uma casa respeitada", começou por afirmar Luciano Gonçalves.

O atual presidente do organismo que tutela a Associação dos Árbitros de Futebol salientou que a inauguração das novas instalações é um dos pilares do mandato da atual direção.

"Ter uma sede digna ao fim de 37 anos de existência era um dos objetivos do meu mandato. E agradeço à Federação Portuguesa de Futebol, na figura o presidente Fernando Gomes, a possibilidade de termos um espaço próprio e que é património da APAF", adiantou.

Fernando Gomes retorquiu que "é uma honra e um prazer estar presente na inauguração da nova sede da APAF e que o apoio da FPF só foi possível na sequência da venda do edifício da antiga sede federativa situado na Praça da Alegria, em Lisboa".

"Sempre olhámos para os árbitros com um carinho especial. A arbitragem portuguesa está a caminhar no sentido correto. A nossa função não é dirigir a arbitragem, mas antes criar as condições para que as coisas corram o melhor possível", constatou o presidente da FPF.

Relativamente questão da introdução esta época do vídeo-árbitro nos jogos da I Liga de futebol, Luciano Gonçalves e Fernando Gomes estiveram em sintonia na abordagem do assunto.

"O projeto do vídeo-árbitro não é muitas vezes compreendido por alguns agentes do futebol", atalhou Fernando Gomes, enquanto Luciano Gonçalves sublinhou: "Tem sido complicado passar a mensagem junto de alguns setores do futebol. Mas continuamos a considerar o vídeo-árbitro como uma mais-valia".

Numa linguagem mais institucional, João Paulo Rebelo também se congratulou com a existência da nova sede. "Hoje é um dia de alegria. Temos de enaltecer o espírito de missão e de sacrifício dos árbitros portugueses. Todo o país deve ter orgulho no seu futebol e nos seus agentes".

E, a concluir a sua breve intervenção, o secretário de Estado da Juventude e Desporto frisou: "Os árbitros portugueses têm merecido um reconhecimento internacional notório. E foram pioneiros na introdução do vídeo-árbitro".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.