Esta quarta-feira, o blog 'Mercado de Benfica' voltou a divulgar mensagens enviadas entre Paulo Gonçalves, o assessor jurídico do Benfica, e Nuno Cabral, antigo delegado da Liga. Segundo avança o jornal 'Correio da Manhã', Nuno Cabral acompanhava as equipas de arbitragem a troco de bilhetes e de serviços de prostitutas.

As conversas remontam a 2014 e, sempre encriptadas, incluem nomes de código. 'Discoteca' e 'camisolas' são algumas das prendas pedidas nos e-mails revelados, que o Correio da Manhã aponta como expressão para os serviços de prostitutas, em alternativa à 'fruta' - palavra associada a uma investigação que envolveu o FC Porto.

Nuno Cabral enviava fotografias de mulheres, nomes, números de telefone e preços para Paulo Gonçalves e chegou mesmo a pedir "um aumento salarial de mil euros" pelo serviço que prestava ao clube.

Segundo os e-mails, os encontros aconteciam num hotel em Lisboa, onde os quartos eram totalmente pagos pelos 'encarnados'. As marcações eram feitas no nome de Paulo Gonçalves.

Outras mensagens apontam para o envolvimento de Luís Filipe Vieira no caso. Numa troca de e-mails entre Paulo Gonçalves e o presidente do Benfica, Vieira deixa claro que "tenho em meu poder os bilhetes possíveis para oferecer" para uma partida no Estádio da Luz frente ao FC Porto. Luís Filipe Vieira já negou ter conhecimento das ofertas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.