O presidente do Sporting prestou homenagem a Rui Jordão, que faleceu hoje aos 67 anos, considerando-o "uma lenda do clube e do futebol português, que ganhou um lugar na imortalidade".

“Na história do Sporting encontramos grandes atletas, grandes jogadores e lendas. Rui Jordão era uma dessas lendas, que encantou uma geração com os seus 180 golos”, disse Frederico Varandas, em declarações à televisão do clube, endereçando à família do antigo futebolista “sentidas e sinceras condolências”.

Para o presidente ‘leonino’, Rui Jordão “partiu hoje, mas ganhou um lugar na imortalidade”, qualificando-o como “um homem de valores e um artista dentro do campo, continuando a sê-lo fora do campo” depois de deixar o futebol.

Jordão morreu hoje, aos 67 anos, no Hospital de Cascais, onde estava internado, em consequência de problemas cardíacos.

O antigo jogador, natural de Benguela, destacou-se no Benfica, clube no qual iniciou a carreira, em 1971/72, e no Sporting, tendo disputado 43 jogos pela seleção portuguesa e marcado 15 golos, dois dos quais no Europeu de 1984, no qual Portugal foi eliminado nas meias-finais.

Jordão, que jogou também no Saragoça e no Vitória de Setúbal, onde terminou a carreira, em 1988/89, foi melhor marcador do campeonato português nas épocas 1975/76 e 1979/80, tendo conquistado seis títulos de campeão nacional, três Taças de Portugal e uma Supertaça portuguesa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.