O treinador português Augusto Inácio manifestou hoje o objetivo de recolocar o Avaí no principal escalão do futebol brasileiro e mostrou-se agradado pelo facto de representar um clube cujo símbolo é um leão, o mesmo do Sporting.

“O Avaí é um clube ambicioso, que teve o azar de ter sido despromovido, mas é um clube vencedor. O meu grande objetivo é regressarmos à Serie A [primeiro escalão]. Se assim não fosse, eu não estaria aqui”, afirmou Inácio, na apresentação como novo treinador da equipa de Florianópolis, no estado de Santa Catarina.

O técnico luso, que assinou contrato até 31 de dezembro de 2020, assegurou que não foi o dinheiro que o motivou a ir para o Brasil, tendo em conta que “em Portugal ganhava muito mais”, e disse ter ficado “surpreendido com a estrutura e profissionalismo” do clube catarinense, que foi 20.º e último classificado do Brasileirão e acabou despromovido.

“Vim para mostrar o meu trabalho. Estou contente por estar no Brasil e no Avaí. Sei que esta é uma zona de praias, com vida muito boa, mas não vim passar férias, vim para trabalhar”, observou, salientando que acompanha o futebol brasileiro “há muito tempo”.

Acabado de chegar ao ‘Leão da ilha’, Augusto Inácio, de 64 anos, aproveitou a ocasião para recordar o clube do coração, cujo símbolo é o mesmo.

“Este clube tem algo que me agradou muito. O símbolo do clube é um leão, o mesmo símbolo do meu clube do coração em Portugal, que é o Sporting. Vou lutar por este leão com toda a alma e determinação. É um animal que nunca cai, levanta-se sempre e o Avaí vai levantar-se”, salientou.

Inácio, que deixou o comando do Desportivo das Aves em outubro, é o segundo treinador português a assumir atualmente uma equipa brasileira, depois de Jorge Jesus, que recentemente guiou o Flamengo ao triunfo no Brasileirão e na Taça Libertadores.

“Quero dar os parabéns ao Jorge Jesus, à sua equipa técnica e ao Flamengo, pelos feitos que têm conseguido. Não é fácil entrar a meio da temporada, a tantos pontos do primeiro lugar, e ganhar o ‘Brasileirão’, a Libertadores e estar agora na final do Mundial de Clubes”, referiu o treinador luso.

Esta será a sétima experiência de Augusto Inácio fora de Portugal, depois de passagens por Al Ahli (Qatar), Ionikos (Grécia), Foolad (Irão), Interclube (Angola), Vaslui (Roménia) e Zamalek (Egito).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.