Os adeptos do Cruzeiro não gostaram nada de ver o clube de futebol de Belo Horizonte descer de divisão, ao perder com o Palmeiras, e entraram em confronto com a polícia, depois de terem arremessado cadeiras das bancadas do estádio. Os desacatos continuaram fora do recinto.

Dezenas de adeptos ficaram feridos após estes incidentes no estádio Mineirão e arredores.

Veja o vídeo

O histórico Cruzeiro cai pela primeira vez para a segunda divisão brasileira

Cruzeiro, um dos grandes nomes do futebol brasileiro, desceu, este domingo, à Série B pela primeira vez na sua história, consumando uma segunda volta desastrosa, na qual se juntaram uma grave crise financeira e um fraco desempenho de uma equipa cheia de estrelas.

A equipa de Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais, chegou agonizado à última jornada do Brasileirão, precisando de vencer o Palmeiras e esperar pela derrota do Ceará contra o Botafogo para não descer de divisão.

Nenhuma das opções foi consumada, uma vez que o Cruzeiro perdeu 2-0 em casa com o Palmeiras e o Ceará empatou (1-1) no Rio de Janeiro.

Em Belo Horizonte, quando o árbitro apitou para o final do encontro, os incidentes nas bancadas começaram logo, com cadeiras arrancadas e atiradas do estádio.

Como explicou um porta-voz da Polícia Militar à AFP, pelo menos 30 pessoas ficaram feridas e três delas foram hospitalizadas. A polícia usou balas de gás lacrimogêneo e borracha para dispersar grupos de adeptos enfurecidos.

Ninguém imaginaria o desfecho fatal para este clube, fundado em 1921, sustentado por uma história com duas Taças Libertadoras (1976 e 1997) e vencedor por quatro vezes do campeonato brasileiro (é o único clube que venceu duas vezes consecutivas nesta década, em 2013 e 2014) e o recordista máximo da Taça do Brasil, com seis troféus.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.