O alemão Bruno Labbadia, anunciado na quinta-feira como o quarto técnico do Hertha Berlim, assume hoje o cargo na equipa alemã de futebol, mas com o salário reduzido para metade, face à paralisação das competições devido à covid-19.

“É um gesto louvável, que agradecemos de antemão”, assinalou o diretor do clube Michael Preetz, depois de conhecer a decisão de Labbadia, que sucede no comando técnico do Hertha a Alexander Nouri.

Este, por sua vez, só esteve em quatro jogos e tinha assumido a equipa após a saída de Jürgen Klismann, que abandonou o clube em fevereiro e tinha chegado no final de novembro, também em substituição do croata Ante Covic.

A temporada de 2019/20 do Hertha Berlim está longe do pretendido, após o novo patrocinador, Lars Windhorst, ter investido cerca de 230 milhões de euros para tornar o clube num dos pesos pesados da Bundesliga.

Com nove jogos por disputar, o Hertha encontra-se no 13.º lugar do campeonato alemão, com 28 pontos, seis acima da zona de despromoção e a 27 do líder Bayern Munique. O campeonato está suspenso e não está claro quando ou se será retomado.

O clube, como outros da Bundesliga, voltou aos treinos, embora ainda esteja por definir quando regressa o campeonato, admitindo-se, segundo o jornal Bild, que a competição retome em maio, mas à porta fechada.

A Alemanha é o quinto país do mundo com mais casos de pessoas infetadas com o novo coronavírus, com o Instituto Roberto Koch a referenciar hoje 123.016 casos, um aumento desde domingo de 2.799 pessoas, e um total de 2.799 mortos.

Ainda segundo o Instituto, autoridade competente na Alemanha no âmbito dos casos do novo coronavírus, registou-se pelo terceiro dia consecutivo uma redução no número de novos casos e 64.300 doentes recuperaram.

Esta evolução fez aumentar as expectativas de flexibilizar as restrições acordadas entre o governo de Ângela Merkel e os governos dos diferentes estados, que impõem a proibição de saída ou de concentração de mais de duas pessoas desde 22 de março.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 112 mil mortos e infetou mais de 1,8 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Dos casos de infeção, quase 375 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.