Hans-Joachim Watzke, CEO do Borussia Dortmund, admitiu, na sua autobiografia, a já pública ajuda financeira do Bayern Munique quando os Die Schwarzgelben se encontravam à beira da falência, em 2005.

"Para mim, foi surpreendente que esse tema tenha vindo à baila quando fomos campeões da Bundesliga. Quiseram criar a imagem de que eu fui pedir dinheiro ao Bayern, mas preferia ir pedinchar debaixo da ponte do que ir fazê-lo ao nosso maior rival. Não havia maior humilhação neste mundo", afirmou o dirigente dos alemães, em declarações reproduzidas pelo jornal A Bola.

No mesmo livro, é também revelado que Watzke contactou, no verão de 2018, Jurgen Klopp para um possível regresso a Dortmund, técnico que na altura orientava o Liverpool.

"Estava num avião e o meu telefone tocou. 'Jurgen, tens de voltar [ao Dortmund]'. Ri-me, pensei que estava a gozar. 'És estúpido? Ou estiveste a beber? Onde foste buscar essa ideia? Sabes que tenho mais uns anos de contrato com o Liverpool'. Não sabia se estava a falar a sério, mas percebi que queria uma resposta", refere Klopp.

"Eu sabia que Jurgen iria dizer não e que quer cumprir o contrato com o Liverpool. Mas, naquela altura, queríamos um novo rumo e um novo caminho para o Dortmund, por isso, tinha de perguntar-lhe se [o regresso] seria uma possibilidade. Não esperava que ele aceitasse, mas nunca me perdoaria se, pelo menos, não perguntasse se era uma possibilidade", contou Watzke.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.