A informação foi prestada hoje, no Porto, pelo presidente da Direcção do clube e da SAD "axadrezada", no dia em que a equipa iniciou a sua preparação com vista à próxima temporada.

Álvaro Braga Júnior afirmou acreditar haver “condições desportivas” para lutar já esta época pela subida de divisão, mas frisou que as condições não estão ainda reunidas e pioraram até na última semana.

“Faz hoje oito dias que fomos surpreendidos com uma bateria de pedidos de impedimento oriunda da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que fizeram saltar uma verba na ordem dos 300/350 mil euros para os 700 mil euros”, disse o dirigente máximo boavisteiro, em conferência de imprensa.

São cerca de 20 impedimentos, a maioria deles relacionados com dívidas a ex-jogadores, que não permitem ao Boavista inscrever qualquer futebolista na FPF.

Três desses impedimentos prendem-se com 170 mil euros que o clube deve ainda ao treinador montenegrino Zeljko Petrovic e seus adjuntos, que tiveram uma breve passagem pelo clube no início da época 2006/07, em substituição de Jesualdo Ferreira, que se transferiu para o FC Porto.

O dirigente mostrou-se convicto de que “o Boavista vai conseguir superar essa dificuldade”, o que, acrescentou, terá de ser garantido até ao final do mês de Agosto.

O presidente boavisteiro reconhece que “não é líquido” ainda que o clube consiga disputar a II Divisão nacional, que começa a 06 de Setembro, mas ainda acredita.

Além dos já referidos 700 mil euros, o Boavista vai ainda necessitar de uma verba que pode ir até aos 300 mil euros para o orçamento desta época futebolística, mas o dirigente diz que não será problema.

“O mais preocupante é a outra verba, atendendo até à urgência que é necessária para que seja reunida”, sustentou, adiantando, por outro lado, haver “conversações com duas empresas internacionais que admitem a possibilidade de auxiliar a SAD do Boavista”.

Apesar destas interrogações, o Boavista voltou hoje aos treinos. Para já, a equipa técnica chefiada por Jorge Madureira conta com 15 jogadores, destacando-se entre eles o defesa central Jorge Silva, que transitou da época passada, tal como Pedrosa e Diogo Leite.

Jorge Silva, de 33 anos, garante que a sua “disponibilidade e motivação serão sempre iguais, seja em que divisão for", ainda para mais representando o seu clube.

Com uma longa carreira, grande parte dela ao serviço do Boavista, na primeira divisão, Jorge Silva voltou ao clube na época passada, já com este na Liga de Honra, e viu-o descer para a II nacional.

Cerca das 10:00, atletas e treinadores subiram ao relvado secundário do Bessa para um treino que foi presenciado por perto de meia centena de adeptos e associados "axadrezados", entre eles o histórico Manuel do Laço, sócio há 62 anos e ainda com fé num “milagre” que devolva o clube à primeira divisão nacional.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.