Muito se tem olhado para a crise financeira que a pandemia COVID-19 vai provocar nos grandes clubes e no futebol ao mais alto nível, mas nos escalões mais baixos o drama poderá ser bem maior. De acordo com o jornal 'O Jogo', mais de 900 elementos de clubes do Campeonato de Portugal não irão receber o salário de março ou tê-loão em risco.

Um problema que, de acordo com aquele jornal, afeta centenas de famílias, uma vez que, mesmo não se tratando de uma competição profissional, muitas pessoas têm nesses clubes a sua única ou principal atividade de subsistência.

A esmagadora maioria é amadora dos clubes são amadores e os pagamentos resumem-se a um acordo verbal de um subsídio que, contudo, é para muitos um salário real. E, não se tratando de um contrato de trabalho, a hipótese de "lay-off" não está ao dispor desses atletas

Segundo escreve o jornal 'O Jogo', dos 72 clubes que integram o Campeonato de Portugal, 17 não estão em condições de pagar março e mais de metade deles tinha já outros pagamentos em atraso. A mesma publicação acrescenta outros clubes estão a tentar encontrar apoios para efetuar os pagamentos, mas não estão certos de que o consigam fazer, tendo quatro clubes pago meio mês.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.