O selecionador de Angola de futebol assumiu as poucas expetativas para a Taça da Nações Africanas de 2019 (CAN2019), na qual vai defrontar Tunísia, Mali e Mauritânia.

"Temos de ser realistas. A nação tem de ser realista. As expetativas não podem ser muito grandes, porque, das 24 seleções apuradas, somos os terceiros de baixo, isso com base no ‘ranking’ da FIFA", referiu Srdjan Vasiljevic, citado pela imprensa angolana de hoje.

Angola ocupa atualmente o 122.º lugar da hierarquia mundial, pelo que uma das "grandes preocupações" do técnico sérvio passa pela "preparação" da seleção.

"Neste momento as condições ainda não estão criadas. A FAF [Federação Angolana de Futebol] está a viver dificuldades financeiras. Peço ao público, entidades privadas e governamentais para se unirem em torno da seleção nacional e providenciarem a realização de um bom estágio, de forma a termos uma participação condigna na prova”, referiu Vasilevic.

Os ‘palancas negras’ vão disputar na CAN2019 a oitava fase final da competição, depois das ausências em 2015 e 2017.

No Grupo E, Angola reencontra a Mauritânia, segunda classificada no grupo dos ‘palancas negras’ na qualificação, que venceu em Luanda, por 4-1, e foi derrotado em Nouakchott, por 1-0.

O Mali, dos ‘portugueses’ Marega e Diaby, recorda o empate 4-4 na CAN2010, depois de a seleção angolana, a jogar em casa e sob o comando de Manuel José, ter estado a vencer por 4-0, aos 79 minutos.

Mais positiva é a memória do embate com a Tunísia, na CAN2008, com a igualdade 0-0 na primeira fase, que permitiu aos angolanos avançarem para os quartos de final. Fase em que acabariam por ser eliminados pelo Egito (2-1).

Nas sete anteriores presenças, Angola chegou por duas vezes aos quartos de final, em 2008 e 2010, e foi eliminado na fase de grupos em 1996, 1998, 2006, 2012 e 2013.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.