A ausência de Manucho Gonçalves na concentração da seleção angolana de futebol causou perplexidade entre os adeptos dos Palancas Negras. O jogador não apareceu no estágio e não deu qualquer explicação para a sua ausência.

Esta quarta-feira o avançado do Valladolid de Espanha disse que nem ele nem o seu clube foram notificados pela Federação Angolana de Futebol da convocatória, como é hábito. O jogador disse, numa entrevista à Rádio 5 de Angola, que o clube não o dispensou porque não recebeu qualquer notificação da FAF. “Eu perguntei se não receberam nenhum papel meu, e eles disseram que não, o que achei estranho, porque no passado também tive que andar atrás das pessoas para receber a convocatória”, explicou Manucho.

Já a FAF tem uma posição diferente. O órgão reitor do futebol angolano diz que o atleta fora notificado pelos mecanismos habituais, como tem sido de hábito: “Enviamos um e-mail ao clube e um privado ao atleta", disse João Lusevikueno, vogal de direcção da FAF, acrescentando: "O professor Romeu Filemon telefonou para o Manucho, O Freddy telefonou para o Manucho, o André Makanga telefonou para o Manucho, o director técnico da federação tentou entrar em contacto com ele, eu pessoalmente, tentei entrar em contacto com Manucho”.

Angola defronta esta sexta-feira o Lesotho, em jogo da 3.ª jornada do Grupo C de apuramento ao CAN2015. Dia 15 os Palancas recebem o mesmo adversário em casa. Angola soma por derrotas os jogos já realizados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.