Amantes do futebol na província de Benguela estão confiantes na vitória dos Palancas Negras, nesta sexta-feira, diante do Botswana, para a última jornada do Grupo I de apuramento e consequente qualificação ao Campeonato Africano das Nações (CAN2019), a realizar-se em Julho, no Egipto.

Em entrevista à Angop, o antigo capitão dos Palancas Negras Osvaldo Roque “Jony” admitiu que não vai ser um jogo fácil, pois estão vários interesses em jogo e a seleção tem de estar bem preparada para vencer o desafio.

“Se a equipa estiver concentrada e saber o que quer e deve fazer, certamente estaremos no Egipto”, disse o ex internacional angolano.

Já o antigo jogador dos Palancas Negras Mário Luvambo defende que a selecão deve entrar em campo para ganhar, o que passa por marcar muitos golos.

"Nós só dependemos de nós próprios, por isso não devemos pensar se o Burkina vai empatar na outra partida do grupo. Devemos pensar em nós, o que passa por ganhar e marcar presença no CAN do Egipto", disse Mário Luvambo.

Leão Ngoma, presidente do clube 17 de Maio de Benguela, disse que se a seleção de Angola estiver organizada e entrar com uma postura muito coesa e dinâmica dentro do campo vai ganhar o jogo.

Para si, neste tipo de jogos os jogadores da seleção devem cometer o menor número de erros e estar concentrados para não serem surpreendidos pelo adversário, que joga em casa, diante do seu público.

“O combinado nacional tem jogadores experientes e acredito seriamente que estaremos no CAN do Egipto. À federação de futebol, solicito que criem todas as condições logísticas e técnicas para a seleção, para que os atletas se sintam confortados e possam dar o melhor de si”, disse.

Já o chefe do departamento de formação do 1º de Maio de Benguela, o antigo futebolista António Cunha “Inoque”, defende que a seleção de Angola deve entrar a jogar no ataque, sem descurar a defesa.

O antigo futebolista do Sporting e 1º de Maio de Benguela referiu que os Palancas têm muitos valores individuais que, com muita disciplina, humildade e organização, podem vencer o Botswana e conseguir o almejado apuramento para a CAN do Egipto.

Pediu a todos os angolanos que apoiem a seleção porque o país precisa de voltar a essa competição continental.

Os angolanos ocupam a segunda posição do grupo, com nove pontos, contra um dos tswaneses. Os mauritanianos, já apurados, são líderes com doze pontos, ao passo que o Burkina Faso é terceiro, com sete.

Angola já participou nos CAN de 1996 (África do Sul), 1998 (Burkina Faso), 2006 (Egipto), 2008 (Ghana), 2010 (Angola), 2012 (Gabão e Guiné Equatorial), 2013 (África do Sul). Falhou as últimas duas edições: Em 2015 (Guiné Equatorial) e 2017 (Gabão).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.