Os selecionadores de futebol de Moçambique e Guiné-Bissau destacaram hoje o jogo “muito repartido” no empate 2-2 entre as duas seleções, em Maputo, na qualificação para a Taça das Nações Africanas de 2019 (CAN2019).

"O jogo demonstrado entre quatro linhas mostrou uma dinâmica muito equilibrada. O empate prevaleceu e as duas equipas estão de parabéns", afirmou o selecionador da Guiné-Bissau, Baciro Candé.

Moçambique e Guiné-Bissau empataram hoje por 2-2 em jogo da fase de grupos da qualificação para a CAN2019, no Estádio do Zimpeto, em Maputo.

Para Baciro Condé, a seleção da Guiné-Bissau "aguentou a pressão", apesar do "modelo violento" que Moçambique adotou.

"Houve sempre agressões dos jogadores de Moçambique, mas não levamos isso em causa. Sabemos que o futebol é guerra", observou.

Por sua vez, o selecionador de Moçambique, o português Abel Xavier, disse que o jogo foi "muito disputado", considerando que os seus jogadores mereciam a vitória, pela postura apresentada.

"Por vezes o futebol é cruel, mas nós temos de ser consistentes com o que o que estamos a fazer. Fica um sabor amargo da forma que sofremos o golo de empate, mas continuamos em primeiro", concluiu Abel Xavier.

Nas bancadas, o sentimento era de festa, com os adeptos a destacarem um "encontro lusófono" entre duas nações que têm muito em comum.

"São duas nações idênticas e que devem ser consideradas irmãs. É um país irmão", referiu Júlio Mendes, adepto da seleção moçambicana.

Para Armindo Fernando, um dos poucos adeptos da Guiné-Bissau que esteve no Zimpeto, "os dois países podem a partir deste exemplo começar a desenvolver relações em outras áreas", destacando laços comuns entre os dois países.

"O futebol não tem fronteira. Serve mais para juntar as nações e não tem cores nem bandeiras. É uma festa ter aqui um país irmão", concluiu Armindo Fernando.

No jogo, Zainadine, aos 45+1 minutos, deu vantagem à formação moçambicana, levando ao delírio milhares de moçambicanos que lotaram o Zimpeto (com capacidade para receber 42 mil espetadores).

Carlos Embaló empatou a partida, aos 51 minutos, antes de Reginaldo voltar a dar vantagem aos anfitriões, aos 90, após um livre de Wity em que a bola foi à trave da baliza guineense.

O jogo parecia resolvido, mas os ‘Djurtus' chegaram à igualdade, já durante a compensação, com um tento de Federik Mendy.

Com este resultado, Moçambique e Guiné-Bissau dividem o primeiro lugar do Grupo K, com quatro pontos, enquanto Zâmbia e Namíbia, que hoje empataram 1-1, somam um.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.