Arturo Vidal, jogador estrela do Chile bicampeão (2015 e 2016), quer ir mais longe com a sua seleção e para isso promete lutar para vencer o Peru na quarta-feira, nas meias-finais, e assim garantir uma vaga naquela que seria a sua terceira final consecutiva na Copa América.

"Queremos ficar na história como tricampeões, é o nosso sonho. Por isso diante do Peru queremos fazer a melhor partida da competição, será algo histórico para nós se passarmos à final e esse é nosso objetivo", disse Vidal em conferência de imprensa em Porto Alegre, cidade onde vai acontecer o duelo.

"Precisamos de fazer uma partida perfeita, vencê-la com autoridade. O Peru é uma equipa muito coletiva, que joga bem, de forma muito parecida com o jogo da Colômbia, mas vai ser uma partida muito difícil e muito boa de disputar", acrescentou.

Chile e Peru chegaram às meias-finais através da marcação de grandes penalidades: o Chile derrotou por 5-4 a Colômbia após empatar sem golos nos 90 minutos de uma partida que dominou e na qual teve dois golos anulados pelo VAR.

O Peru passou pelo Uruguai com um resultado idêntico, no tempo regulamentar e nas penalidades. Os uruguaios marcaram três golos que foram anulados pelo vídeo árbitro, todos por fora de jogo.

"Enfrentámos o Peru nos Estados Unidos sem contar com toda a equipa que temos agora, mas eles mostraram muito crescimento depois da qualificação para o Campeonato do Mundo" da Rússia, disse Vidal referindo-se ao particular que a 'Roja' perdeu por 3-0 em outubro passado em Miami.

Desejo

Vidal, de 32 anos, destacou o perigo que Paolo Guerrero representa no ataque peruano, um "jogador que sabe jogar contra quatro defesas, e que sempre é difícil marcá-lo".

"Não é porque é o Peru que vou tentar jogar melhor. Todas as vezes que defendo a camisola do Chile procuro dar o máximo. Nós temos que preparar bem a partida, estar à altura do desafio e chegar à final", disse o médio do Barcelona.

O Chile conquistou a sua primeira Copa América em 2015 e a segunda um ano depois nos Estados Unidos. "Nessa de 2015 só tínhamos fome mas não tínhamos títulos, não tínhamos experiência, e agora sim temos tudo", disse Arturo.

"Agora sim podemos controlar muito melhor as partidas", acrescentou.

Vidal destacou o trabalho do médio Charles Aránguiz, outro dos artífices desses dois títulos e integrante da chamada Geração Dourada da 'Roja' com Gary Medel, Alexis Sánchez e Eduardo Vargas.

"Com o Charles jogámos muito e ganhámos muitas coisas. Ele dá-te confiança, tem qualidade de sobra. Não fala muito, mas é um jogador de primeiro nível", afirmou.

Solidariedade com Tesillo

Vidal também dedicou palavras ao técnico colombiano Reinaldo Rueda, que está no comando da Roja desde janeiro, um treinador "com valores" e que assumiu "uma grande responsabilidade" depois do fracasso da eliminação para o Campeonato do Mundo de 2018.

"Com a qualidade que tem como pessoa como treinador está a tirar o melhor desta seleção. É difícil comandar um grupo como o nosso, ainda mais depois de não nos qualificarmos (para a Rússia), mas ele conseguiu", destacou.

"Ele fala-nos com clareza, olhando nos olhos, disse-nos que não éramos os bicampeões mas os eliminados do Campeonato do Mundo, e que tínhamos que tirar o melhor de nós, e os resultados estão a ser vistos nesta Copa América", disse Vidal.

O jogador também dedicou umas palavras ao defesa colombiano William Tesillo, ameaçado de morte no seu país nas redes sociais depois da grande penalidade que desperdiçou contra o Chile (5-4, 0-0 em 90 minutos) nos quartos de final, o que significou a eliminação da Colômbia.

"Não pudemos conversar com ele, vimos isso e é pesado que por causa de uma falha numa partida de futebol ocorram ameaças de morte. Tomara que nada aconteça, que não seja verdade e que isso nunca mais aconteça no futebol. Muita força para ele e sua família", declarou o astro chileno.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.