Mais um 'tratado' de futebol do Barcelona no Bernabéu. Os 'culés' venceram os 'merengues' por 3-0 e estão na final da Taça do Rei pela sexta vez. Sem deslumbrar muito como noutras ocasiões, a formação de Valverde foi mais eficaz, num jogo onde Suárez foi decisivo. O uruguaio fez dois golos, um deles de penálti, num remate à Panenka. Ao seu 40.º encontro frente ao Real Madrid, Messi continua sem marcar aos merengues na Taça do Rei. No sábado as duas formações voltam a encontrar-se neste campo, agora para o campeonato.

Veja as melhores imagens do clássico espanhol

O golo marcado fora na primeira-mão dava alguma vantagem ao Real Madrid que, jogando perante o seu público, tentava carimbar a passagem à final. Eliminando os 'culés, os 'blancos' poderiam impedir o Barcelona de vencer o troféu pela quinta vez consecutiva, algo nunca antes conseguido em Espanha.

Solari surpreendeu ao deixar Marcelo e Bale no banco, lançando os 'canteranos' Lucas Vázquez e Reguillon. Já do lado catalão, poucas novidades, a não ser a entrada de Sergio Roberto para o meio, relegando Arthur para o banco.

No relvado o jogo desenrolou sem muitas novidades: o Barcelona, com mais bola, a circular, sem forçar muito, tentando manter o Real Madrid no seu meio-campo. Nos primeiros 45 minutos o tridente formado por Messi, Suárez e Dembelé raramente forçou frente a defensiva 'merengue'. Apesar de ter menos bola, as oportunidades de golo mais clamorosas eram dos 'merengues', principalmente pelas ações de Vázquez e Vinícius Júnior pelos corredores. O jovem brasileiro foi um 'quebra-cabeças' para Nélson Semedo e um dos principais 'motores' do ataque 'merengue' mas a sua falta de pontaria iria a sair caro à equipa da casa.

Aos 19 minutos os 80.472 espectadores no Bernabéu ficaram com o grito de golo 'preso' na garganta, quando Vinícius, servido por Benzema, rodou e atirou por cima. Aos 23, nova oportunidade perdida pelo extremo: lançado por Casemiro, correu para a área, perdeu tempo e rematou contra um defensor. Aos 37, nova oportunidade desperdiçada por Vinícius, num remate dentro da pequena área contra o corpo de Ter Stegen. Na recarga, Benzema rematou para defesa com o pé de Ter Stegen. E no minuto 39, outra vez Vinícius Júnior a rematar por cima após centro de Reguillon.

Ao intervalo, só o desacerto de Vinícius na finalização impedia os homens de Santiao Solari de estarem em vantagem. O Barcelona ia tendo dificuldades em travar os velozes extremos contrários.

No segundo tempo o Real Madrid subiu mais no terreno, passou a ter mais bola, obrigando o Barcelona a recuar ainda mais. Mas também a ter mais espaço para atacar, tal como gosta a equipa de Valverde. Foi assim que surgiu o 1-0 aos 51 minutos. Jordil Alba libertou Dembelé no corredor esquerdo, o francês centrou de pronto para um remate de primeira de Suárez, a bater Keylor Navas pela primeira vez. O Barcelona passava a estar em vantagem na eliminatória.

Necessitando de marcar para empatar de novo a eliminatória, os 'merengues' continuavam a criar muitos lances de perigo, principalmente pelas alas onde Vinícius continuava a dar cabo da cabeça a Nelson Semedo. Aos 60 minutos o brasileiro colocou uma bola no segundo poste onde Lenglet evitou que Lucas Vázquez empatasse. Dois minutos depois são os reflexos de Ter Stegen que travam o empate, num remate de cabeça de Reguilón que levava 'selo de golo'.

Nesse período só dava Madrid e Vinícius Júnior. No minuto 60, passou por Busquets, 'sentou' Piquè e rematou mas apareceu Nelson Semedo a desviar.

Os catalães viriam a castigar, sem dó nem piedade, o desperdício 'merengue' aos 69 minutos, num golo onde interveio Nelson Semedo. O lateral português 'chamou' Dembelé para a velocidade, o francês acelerou pela direita e centrou forte. Na tentativa de evitar que a bola chegasse até Suárez, Raphael Varane acabou por desviar para a própria baliza, fazendo autogolo.

O 'estocada final' nas aspirações 'merengues' chegou no minuto 73, numa 'maldade' de todo o tamanho de Luís Suárez. O uruguaio foi derrubado na área 'merengue' por Casemiro. Messi podia ter marcado a grande penalidade e assim fazer o seu primeiro golo ao Real Madrid em jogos da Taça do Rei (nunca marcou, em sete jogos) mas o astro argentino preferiu dar essa possibilidade ao seu colega de ataque. Suárez partiu para a bola e, com uma 'Panenka' espetacular, fez o 3-0, para desespero de Sergio Ramos. Era o 11.º golo do uruguaio em 13 partidas frente ao Real Madrid.

Nessa altura já Solari tinha lançado Gareth Bale (não acrescentou nada ao jogo), tendo feito entrar também Asensio e Valverde. Ernesto Valverde fez descansar Suárez, Dembelé e Busquets, e fez entrar Vidal, Coutinho e Arthur.

Os últimos minutos foram passados com o Barcelona a gerir o jogo com o bola e o Real Madrid resignado, a ver o esférico passar de pé para pé dos jogadores blaugrana.

Messi podia ter marcado a grande penalidade mas declinou o convite e continua sem marcar ao Real Madrid na Taça do Rei. Os 'culés' ficam à espera do resultado do encontro entre o Bétis de William Carvalho e o Valência para saber quem será o seu adversário na final da Taça do Rei, marcado para 25 de maio, no Benito Villamarin, estádio do Bétis. O Barcelona irá tentar o seu quinto título consecutivo na prova

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.