O treinador português Jorge Jesus manifestou o desejo, após a qualificação do Flamengo para as meias-finais da Taça Libertadores de futebol, com um empate a 1-1 no terreno do Internacional, de chegar à final, a disputar no Chile.

“Queremos muito estar no Chile, mas percebemos que não é fácil. O nosso próximo adversário tem mais experiência do que nós em relação a isso. Já estiveram várias vezes na final”, disse no final do jogo Jorge Jesus, referindo-se ao Grêmio.

O Flamengo chega 35 anos depois às meias-finais da Taça Libertadores, fase em que vai encontrar o responsável pela sua eliminação em 1984, mas Jorge Jesus considera que o clube carioca “deu mais um passo”, mas “ainda não ganhou nada”.

“É importante para qualquer equipa passar às finais, seja da Taça Libertadores ou da Champions. Também é esse o nosso objetivo, trabalhamos para isso. Mas ainda não ganhámos nada, só passámos uma eliminatória”, referiu o treinador.

Jorge Jesus reconheceu que o objetivo do Flamengo é chegar à final da Taça Libertadores, e que esse caminho está a ser traçado, “passo a passo”, com “muito trabalho” e de forma “serena”, “consciente das dificuldades” e “com humildade”.

“Faltam dois jogos. Mas agora é desfrutar um pouco da passagem às meias-finais com os adeptos. A partir do momento que cheguei, esta eliminatória foi mais um passo que demos para estar na final da Libertadores, nada mais que isso”, disse.

O treinador português, que lidera o Brasileirão, com 33 pontos, e no domingo defronta o Palmeiras, para a 17.ª jornada, disse que ainda falta tempo para pensar na eliminatória com o Grêmio e que o seu foco estava já no próximo jogo.

“A próxima eliminatória vai levar tempo, já estou a pensar no Palmeiras”, referiu Jesus.

O Flamengo apurou-se na quarta-feira para as meias-finais da Taça Libertadores, ao empatar 1-1 em casa do Internacional, em jogo da segunda mão dos quartos de final.

“Durante 90 minutos, fomos a melhor equipa, sem dúvida. Fizemos uma primeira parte fantástica, acabamos por não concretizar nos lances na cara do guarda-redes, mas, além das oportunidades, fomos uma equipa muito segura”, considerou.

O treinador disse que em termos de oportunidades, o Internacional só criou perigo em lances de bola parada, mas alertou para a necessidade de o Flamengo, no capítulo da concretização, não poder desperdiçar tantas oportunidades de golo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.