O Flamengo, treinado pelo português Jorge Jesus, conseguiu na quarta-feira um lugar nos quartos de final da Taça Libertadores em futebol, ao eliminar os equatorianos do Emelec na ‘lotaria’ dos penáltis (4-2), no Maracanã.

Após o encontro, Jorge Jesus não escondeu o orgulho pelo comportamento da equipa do Flamengo após o apuramento e voltou a fazer analogia com videojogos para enaltecer a competitividade dos seus jogadores.

"Uma coisa é tu mudares o pneu do carro em andamento, foi isso que fiz quando cheguei aqui. Quando fui para a primeira decisão de penáltis [ndr: que ditou eliminação na Copa do Brasil], pouco sabia quem marcava. Não tive tempo para os trabalhar. Hoje [ndr: quarta-feira no Brasil] preparámos bem a equipa para grandes penalidades. Como disse, na primeira vez em que fomos eliminados por grandes penalidades, penalidades não é sorte, é trabalho. Trabalhámos em cima desta matéria, ainda no dia do jogo estivemos a trabalhar penalidades. Parabéns aos jogadores", começou por dizer o técnico.

"É impossível uma equipa jogar como o Flamengo fez, durante 45 minutos. A equipa do Emelec rematou à baliza do Flamengo, zero. Não fez um remate na nossa baliza, não teve um canto, 70 por cento de posse de bola contra 30. Como queres que uma equipa, seja no Brasil, na China, na Europa, tenha o mesmo comportamento que a equipa do Flamengo teve em 105 metros, constantemente a pressionar o portador da bola do Emelec, para recuperar a bola perto da baliza do adversário, que chegue a uma segunda parte e os jogadores tenham a mesma capacidade física para o fazer? Sabe onde isso acontece? Na PlayStation. Aqui não acontece", referiu Jesus na conferência de imprensa.

"Quero agradecer aos jogadores do Flamengo a forma tática e disciplinada como conseguiram perceber tudo o que era para fazer e estamos felizes, porque merecemos o que fizemos", concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.