Jerome Boateng sublinhou que a Alemanha "deu um passo atrás" na luta conta o racismo, depois dos cânticos racistas contra Jordan Torunarigha, jogador do Hertha Berlim, no início do mês de fevereiro.

O defesa de 22 anos foi expulso no tempo extra do jogo frente ao Schalke04 para a Taça, disputado a 4 de fevereiro, depois de ter sido, alegadamente, insultado com cânticos racistas pelos adeptos em Gelsenkirchen.

"É chocante e magoa, ver um jovem a chorar num relvado na Alemanha, após insultos racistas. É muito triste", começou por dizer à AFP o campeão do Mundo pela Alemanha em 2014.

A Federação Alemã e a polícia local já abriram uma investigação aos incidentes do jogo.

"Aconteceu comigo de tempos em tempos na Bundesliga. Nestes casos, precisamos da ajuda dos adeptos que estão na bancada, para se poder ajudar a identificar os prevaricadores", explicou o defesa central do Bayern Munique

Jerome Boateng é internacional alemão mas o seu irmão, Kevin-Prince Boateng, optou por representar o Gana. O pai dos dois é ganês, a mãe é Alemã.

"É algo muito difícil de lidar. Pensamos como será no futuro. Eu tenho filhos na Alemanha. Pensava que já tínhamos passado essa fase [de insultos racistas nos estádios] mas, infelizmente, demos um passo atrás, o que é mau e prejudicial para muita gente", terminou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.