André Onana, guarda-redes do Ajax, afirmou numa ao jornal holandês Het Parool que teve um clube interessado nos seus serviços, mas que a transferência para fora do emblema holandês não terá acontecido por ser negro.

Segundo o atleta, este terá sido abordado a seguir à final da Liga Europa, tendo-lhe sido explicado que, apesar do seu talento, seria complicado ser aceite pelos adeptos decido à sua cor de pele.

"No meu primeiro ano no Ajax chegámos à final da Liga Europa e, depois disso, o meu agente falou com um clube que estava interessado em mim. No entanto, decidiram não me contratar porque um guarda-redes negro seria difícil de aceitar pelos seus adeptos. Não foi por terem concluído que não era suficientemente bom", explicou.

O guardião diz ter percebido que, enquanto guarda-redes, o facto de ser negro constitui um entave à progressão da sua carreira. "Ao longo do caminho notei que não é fácil para um guarda-redes negro chegar alto", explicou.

Onana concluiu a entrevista afirmando que são muitas as ocasiões em que se vê vítima de racismo dentro dos estádios de futebol. "O racismo é um problema, lido com isso em quase todos os jogos fora de casa", terminou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.