Com as porporções que o surto do coronavírus foi adquirindo, a realização do Campeonato da Europa de 2020 ficou em risco, embora não exista ainda qualquer decisão por parte da UEFA em relação a essa competição.

O organismo máximo do futebol europeu vai reunir-se na próxima terça-feira para discutir o agendamento das suas provas e espera-se que haja desenvolvimentos também em relação ao Euro'2020 que, lembre-se, nesta edição se irá jogar em 12 países diferentes.

Mas, enquanto tal reunião não tem lugar, a Rússia mostrou-se disponível para receber mais jogos do Europeu. O primeiro-ministro russo, Dmitry Chernyshenko, anunciou que aquele país está pronto para "ajudar a salvar" a competição, recebendo mais partidas do que as quatro inicialmente previstas.

"Nós podemos expandir o nosso programa de jogos e receber mais partidas. Cabe à UEFA analisar e propor-nos isso, mas a Rússia está sempre pronta para dar uma mão e oferecer os seus serviços, embora entendamos que têm de haver certos limites devido à propagação do coronavírus", afirmou Chernyshenko.

Na Rússia estão confirmados 45 casos de Covid-19 até ao momento, não tendo sido registada qualquer morte, e, ao contrário do que aconteceu em grande parte dos países europeus, os encontros da Liga russa ainda não foram suspensos e, embora alguns estejam a ser disputados à porta fechada, vários decorrem sem quaisquer restrições.

De acordo com relatos da imprensa internacional, contudo, há o sério risco de o Euro vir a jogar-se apenas em 2021.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.