Com um autêntico recital de Bernardo Silva e uma exibição de grande nível de todo a equipa, o Manchester City foi a Old Trafford bater o rival citadino Manchester United por 3-1, em jogo da primeira mão das meias-finais da Taça da Liga inglesa.

O United não perdia em casa em jogos oficiais desde agosto, mas cedo se percebeu que não iria ser fácil manter essa invencibilidade.

Com Bernardo Silva no 'onze' e João Cancelo no banco, o City começou a criar perigo desde os minutos iniciais. A equipa de Pep Guardiola estava mesmo nos seus dias - e, quando assim é, é muito complicado travá-la. Se juntar-mos a isso um Bernardo Silva super inspirado, então torna-se impossível.

Sterling deixou um primeiro aviso aos nove minutos e, aos 17, Bernardo Silva fez magia. O internacional português recebeu a bola na direita, fugiu a Fred, fletiu para o meio e disparou um espetacular remate em arco, de pé esquerdo, que não deu hipóteses a David de Gea, fazendo a bola entrar no ângulo superior direito da baliza à guarda do espanhol.

Bernardo não marcava desde 10 de Novembro, mas dificilmente poderia ter encontrado melhor forma de quebrar o seu jejum. Um golo fantástico!

O City continuou a dominar e a dar espetáculo. Sterling quase elevou a contagem pouco depois, na sequência de mais uma grande jogada, mas o segundo golo não iria tardar muito mais. E, claro, com Bernardo Silva a voltar a fazer magia.

Desta feita, com um grande passe, o esquerdino rasgou por completo a defesa do United e isolou Ryad Mahrez, que só teve de ladear De Gea e tocar para o fundo das redes. 2-0, estavam decorridos 34 minutos. E mais cinco minutos bastaram para o City fazer o terceiro.

Devastadores no contra-ataque, os 'citizens' avançaram com muitos homens para a frente, a bola chegou a De Bruyne, que deu um autêntico nó cego a Jones ja dentro da grande área antes de rematar para excelente defesa de De Gea. Mas a noite não parecia ser mesmo do United e a bola ressaltou nos pés de Andreas Pereira, acabando mesmo por entrar na baliza dos 'red devils'.

A reação da turma da casa chegou na segunda parte. Mas não sem que antes o City ameaçasse o quarto golo. Mahrez, contudo, viu primeiro o poste da baliza contrária e, minutos depois, De Gea, negarem-lhe o golo. Não marcou de novo a turma de Guardiola, reduziu a de Soljkaer.

Recuperação de bola a meio do meio campo adversário, Greenwood serviu na perfeição Rashford e este, à saída de Claudio Bravo, finalizou com classe, com um remate rasteiro e preciso.

Foi, contudo, o melhor que o United conseguiu. Os 'red devils' vão, assim, com dois golos de desvantagem para a partida da segunda mão, agendada para o dia 29 de janeiro, no Etihad Stadium, casa do Manchester City.

Leicester City e Aston Villa jogam, quarta-feira, a primeira mão da outra meia-final desta Taça da Liga inglesa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.