Depois do caso de racismo no Bulgária - Inglaterra que chocou o mundo desportivo, em Portugal e no futebol feminino há uma jogadora que se queixou do mesmo.

Falamos de Shade Pratt, jogadora norte-americana do Sporting de Braga, que nas redes sociais denunciou ter sido vítima de insultos racistas na partida entre o Cadima e as bracarenses num embate do campeonato nacional de futebol feminino.

Esta quinta-feira, a União Recreativa de Cadima reagiu à denuncia de Shade Pratt através de um comunicado, referindo que o clube "repudia atitudes ou ações discriminatórias, seja dentro, ou fora das quatro linhas".

"Os valores e o código de ética são e sempre foram de combate ao racismo ou qualquer tipo de opressão, seja ela, desportiva ou social", acrescentou o Cadima, esclarecendo que "em mais de 60 anos de existência nunca tivemos qualquer incidente sobre a prática de atos discriminatórios".

Segundo a jogadora, uma adepta do Cadima, equipa de Cantanhede, insultou-a durante toda a partida.

No final, Pratt tentou confrontar a adepta, mas esta escondeu-se e não teve coragem para a enfrentar.

Já o público, de acordo com Pratt, também não terá condenado o comportamento da adepta em questão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.