Apesar de a pandemia Covid-19 já ter infetado seis pessoas na Turquia, o campeonato de futebol ainda não parou, com os jogos a disputarem-se à porta fechada. Em declarações ao jornal O Jogo, André Castro, do Goztepe, mostrou-se apreensivo com a situação.

"Se as pessoas não podem ir ao estádio, não entendo como estamos a viajar, a ocupar hotéis... Não entendo por que tem de haver jogos. Não apertamos a mão aos nossos colegas ou aos rivais, mas abraçamo-nos quando fazemos golo. Todos gostávamos de parar o desporto porque diariamente contactamos com 50 pessoas no centro de treinos e isso não é suposto acontecer. Se as escolas estão fechadas por que não pára o futebol?", questiona o médio, antes de deixar um apelo: "Joguemos o que falta do campeonato noutra altura."

Com a esposa na fase final da gravidez, André Castro vive agora uma incerteza na Turquia quanto ao regresso a Portugal. "Queria voltar para casa para levar a minha mulher. Gostávamos de ter a criança em Portugal, naturalmente. Depois regressaria para a Turquia sozinho para o que falta disputar da época. Ela está com 32 semanas de gravidez e, claro, tenho medo do futuro nesse sentido", admite.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.