Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai relançaram a candidatura conjunta para organizar o Mundial 2030, numa reunião dos seus respetivos presidentes nesta quarta-feira em Buenos Aires, à margem da cúpula de Cooperação Sul-Sul da ONU.

Durante o encontro, os chefes de Estado comprometeram-se a designar um comité organizador local (COL) com um representante cada para trabalhar de forma coordenada com a Conmebol (a confederação sul-americana), cuja primeira reunião será em Buenos Aires no dia 8 de abril.

Além disso ficou especificado que entre os quatro países serão divididas a final, o jogo de abertura e as duas meias-finais do Campeonato do Mundo.

Os presidentes Mauricio Macri (Argentina), Sebastián Piñera (Chile), Mario Abo (Paraguai) e Tabaré Vázquez (Uruguai) mantiveram a reunião na residência oficial de Olivos (periferia norte), com a presença de Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol.

"Que se consolide esta ideia e que se comece a trabalhar para conseguir o objetivo que é o de que o Campeonato do Mundo em 2030 seja jogado aqui no país e no continente que o viu nascer", declarou Domínguez à AFP.

O primeiro Mundial foi disputado no Uruguai em 1930.

Durante o encontro, Macri agradeceu a Vázquez por ter permitido adicionar o Paraguai e o Chile à iniciativa que apenas Argentina e Uruguai tinham lançado. Os chilenos juntaram-se aos demais no último dia 14 de fevereiro.

"Sabemos que estamos diante de concorrentes difíceis. Por isso este trabalho tem que começar o mais rápido possível", advertiu Macri em alusão aos outros candidatos que pretendem receber o Mundial 2030.

A sede será definida no Qatar por ocasião do Mundial de 2022.

O presidente argentino considerou que a tarefa "requer inteligência, profissionalismo e coordenação com a Conmebol".

Já Vázquez afirmou que o trabalho "reflete claramente que há unidade e harmonia na organização", e estimou que o desafio "é muito menos difícil do que o que significou assumir há 100 anos" a organização do primeiro Mundial.

"Este bloco tem força e argumentos para aspirar à sede de 2030", acrescentou Abdo.

Até agora, Marrocos também lançou a sua candidatura para ser sede o Mundial de 2030, uma organização que poderá ser acompanhada de Espanha e Portugal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.