A Federação Colombiana de Futebol (FCF) negou oficialmente nesta terça-feira ter oferecido o cargo de técnico da seleção do país a Luiz Felipe Scolari para substituir o argentino José Pekerman.

A FCF "informa que não está interessada no técnico Luiz Felipe Scolari para dirigir a seleção nacional", informou a entidade através da sua conta no Twitter.

Scolari, pentacampeão do mundo com o Brasil no Campeonato do Mundo de 2002 e atualmente no comando do Palmeiras, disse em dezembro que tinha recebido uma proposta da Colômbia, mas que precisava de pensar "com clareza" antes de tomar uma decisão.

Nesta terça-feira, ao comparecer diante da imprensa pela primeira vez no início da pré-temporada, Scolari fechou as portas a uma saída do Palmeiras, afirmando que continuará no comando do atual campeão brasileiro, apesar da insistência da federação colombiana.

"Eu disse que não iria sair. Parece que a Colômbia não entendeu que não vou sair (...) Não é uma questão de valores apenas", declarou o treinador brasileiro.

Perante as declarações de Scolari, FCF defendeu-se, afirmando que "parabeniza a sua decisão de seguir no Palmeiras, já que aqui não há nenhuma proposta de trabalho".

A procura por um substituto para o argentino Pekerman, que deixou a seleção colombiana após se qualificar e disputar os Mundiais do Brasil e da Rússia com a equipa, provocou uma chuva de rumores na imprensa local.

A federação informou que irá nomear um novo técnico antes da Copa América 2019, que será disputada de 14 de junho a 7 de julho no Brasil.

Segundo a imprensa local, o mais cobiçado para o cargo é o português Carlos Queiroz, atual técnico do Irão, que assinaria com a Colômbia após o fim da participação da equipa persa na Taça da Ásia, que está a ser disputada nos Emirados Árabes Unidos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.