A secretária-geral da Federação guineense de futebol, Virgínia da Cruz, disse hoje à Lusa que a instituição está a auscultar os clubes do país sobre a continuidade do campeonato, tendo em conta a pandemia da covid-19.

A Guiné-Bissau conta com 38 clubes, 14 da primeira divisão e 24 da segunda divisão.

A primeira volta dos campeonatos das duas divisões já tinha sido concluída antes de o Presidente do país, Umaro Sissoco Embaló, decretar o estado de emergência, em 27 de março.

Segundo a secretária-geral, a federação guineense está agora a auscultar, através de um inquérito escrito, os 38 clubes sobre se a prova deve ser retomada para que a segunda volta dos dois campeonatos seja concluída ou não.

Para fazer face às dificuldades decorrentes da pandemia da covid-19, a federação está a oferecer dois milhões de francos CFA (cerca de três mil euros) a cada clube, assinalou Virgínia da Cruz.

A verba "foi deslocada" dos fundos que a FIFA disponibilizou à federação para suportar "os custos operacionais", notou a secretária-geral, enfatizando que o gesto representa "um balão de oxigénio" para os clubes de futebol guineenses.

A Guiné-Bissau regista 1.089 casos de covid-19, incluindo seis vítimas mortais e 42 recuperados.

No âmbito do combate à pandemia, o Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, decretou o estado de emergência, até 26 de maio, e o recolher obrigatório entre as 20:00 e as 06:00 no país.

Além daquelas medidas, as pessoas só podem circular entre as 07:00 e as 14:00 locais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.