A especulação em torno da identidade do ex-internacional croata que colocou à venda uma medalha de bronze conquistada no Mundial 1998 está a gerar muita polémica na Croácia, avança esta terça-feira a agência France Press.

Recorde-se que a Croácia conquistou o terceiro lugar do Mundial 1998 ao vencer a Holanda por 2-1 no jogo de atribuição da medalha de bronze naquela que foi a primeira competição disputada pelos croatas enquanto nação independente.

Há 20 anos, a FIFA distribuiu 30 medalhas de bronze pela comitiva croata que venceu a Holanda por 2-1 e recentemente surgiu um leilão no portal 'The Salerroom' com um dos preciosos artefactos com a seguinte descrição: "Foram feitas apenas 30 cópias desta medalha. Absolutamente rara, em óptimas condições".

A casa de leilões Agon Sports World estipulou o preço base da medalha em 7500 euros num leilão que irá realizar-se nos próximos dias 7 e 8 de dezembro.

A informação do leilão de uma das medalhas de bronze deixou vários antigos elementos da seleção da Croácia incrédulos, nomeadamente o antigo selecionador croata Miroslav 'Ciro' Blazevic.

"Não quero acreditar que alguém dos meus jogadores pudesse colocar a medalha à venda uma vez que estão todos bem financeiramente", começou por dizer Blazevic ao diário croata Vecernji List.

"Se calhar a medalha foi roubada", acrescentou o antigo treinador de 83 anos. "O vendedor não irá de certeza ficar anónimo, este tipo de coisas sabem-se sempre", sentenciou.

Contactada pela AFP, a Federação Croata de Futebol frisou que, "todas as medalhas são propriedade privada dos atletas que podem fazer o que quiserem e bem entenderam com elas".

O organismo que tutela o futebol croata rejeitou especular sobre a autênticidade da medalha em questão.

"Nós não a vimos nem ninguém nos procurou para provar a sua autênticidade", acrescentou a Federação Croata de Futebol em comunicado que garantiu ainda que há atualmente 29 medalhas de bronze do Mundial 98 na Croácia.

Já em declarações à imprensa local, Zorislav Srebric, dirigente da Federação Croata de Futebol mostrou-se chocado e incrédulo com a possível venda de um artefacto tão simbólico na história do futebol da Croácia.

"Não acredito que alguém queira desfazer-se de algo extraordinário com tanto valor, especialmente emocional", disse Zorislav Srebric.

"Alguém está com sérios problemas quando tem de venderestamedalha",atirou o médico da seleção da Croácia, Boris Nemec, acrescentando que não venderia a sua "por nada deste mundo".

No entanto, o antigo internacional croata Mario Stanic desvalorizou a polémica ao frisar que a decisão de vender a medalha de bronze "é individual, como em tudo na vida".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.