Daniel Carriço está à caminho da China, onde vai representar o Wuhan Zall, equipa da cidade onde surgiu o surto de coronavírus pela primeira vez. O defesa português de 31 anos abandona assim o Sevilha, depois de seis temporadas e meia no emblema andaluz. Carriço tem estado a trabalhar com a sua nova equipa em Marbella, onde o Wuhan Zall está a estagiar. Sábado regressa à China.

Em declarações ao site 'tuttomercatoweb', o jogador português sublinhou que "hoje a China está mais segura que a Europa" pelo que não teme nada com esta aventura.

"O problema [do coronavírus] está agora aqui [na Europa] na China está praticamente erradicado. Medo? Estivemos a treinar em Marbella, à espera que o alarme sobre o coronavírus desaparecesse totalmente antes de voltar à Wuhan e recuperar progressivamente as nossas vidas. Na China a situação atual é seguramente menos preocupante em relação ao resto do mundo", frisou.

Nas declarações ao 'tuttomercatoweb', citadas pelo jornal 'Marca', Carriço admitiu que, quando foi contactado pelo Wuhan Zall, esteve na dúvida em aceitar.

"Quando começou o mercado de transferências de inverno não se sabia muito sobre o Covid-19, apenas que havia um novo vírus na China. Passei muitos dias à procura de informação, o próprio clube tranquilizou-me, garantindo-me que não iríamos para Wuhan até passar o estado de emergência. É verdade que o coronavírus tornou-se num problema global mas na China está melhor. Se na Europa os contágios aumentam a cada dia em todos os países, em Wuhan há cada vez menos doentes e os casos novos são muito reduzidos", analisou.

Carriço, de 31 anos, que chegou a Sevilha no verão de 2013, proveniente dos ingleses do Reading, disputou 167 jogos pela equipa andaluza e marcou sete golos, tendo conquistado três edições da Liga Europa, uma das quais, a primeira, em final realizada em Turim frente ao Benfica, no desempate por grandes penalidades.

Esta época, sob o comando de Julen Lopetegui, o defesa português fez apenas 11 jogos, o último dos quais no início de janeiro, no empate em casa com o Athletic Bilbau (1-1), em que saiu ao intervalo.

O Wuhan é treinado pelo espanhol José González e tem estado afastado da sua cidade desde o arranque de janeiro, iniciando a pré-época em Guangzhou, a mais de 800 quilómetros, e, depois, em Espanha, em Málaga.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.600 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde a declarar a doença como pandemia. A China registou, até ao momento, 80.932 casos.

O número de infetados ultrapassou as 125 mil pessoas, com casos registados em cerca de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 78 casos confirmados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.