O ex-futebolista internacional checo Tomas Repka, que representou, entre outros, a Fiorentina, de Itália, e o West Ham, de Inglaterra, foi hoje condenado por um tribunal de Praga a 15 meses de prisão, por fraude.

Repka, de 45 anos, foi considerado culpado de ter vendido a uma mulher, em dezembro de 2016, por 1,2 milhões de coroas (cerca de 46.500 euros), um carro de marca Mercedes que não lhe pertencia e que usava sob contrato de ‘leasing’.

Em 2018, Repka tinha sido sentenciado a seis meses de prisão por um tribunal em Brno, que posteriormente comutou a pena para serviço comunitário, por publicar um falso anúncio de acompanhante com a foto e o telefone da ex-mulher.

O antigo jogador conta já com um longo histórico de casos com a justiça, tendo em 2015 e 2016 sido condenado a duas penas suspensas por conduzir embriagado e em 2018 uma outra pena de serviço comunitário por não pagar a pensão de alimentos à ex-mulher.

Repka, que somou 46 internacionalizações pela seleção checa, entre 1993 e 2001, também teve dificuldades em conseguir controlar o seu temperamento em campo, tendo visto por 18 vezes o cartão vermelho, cinco das quais ao serviço da Fiorentina (1998/2001) e quatro no West Ham (2001/2006).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.