Michael Owen 'abriu o livro' e vai contar alguns dados da sua carreira que são desconhecidos da maioria do público. Nos próximos dias deverá estar nas bancas o seu livro autobiográfico 'Reboot: My Life, My Time' mas o jornal 'Mirror' começou a divulgar algumas partes do mesmo esta quarta-feira.

Num dos capítulos, o antigo avançado do Liverpool e do Real Madrid 'carrega' sobre Fabio Capello, antigo selecionador inglês.

"No primeiro treino [Capello como selecionador de Inglaterra, em 2007], a primeira coisa que notámos foi que ele era muito rigoroso com a alimentação e a segunda era que ele não conseguia dizer uma palavra em inglês. Olhamos uns para os outros. E eu pensei: 'como é que ele nos vai dizer alguma coisa?' Olhando para trás, não percebo o que levou a Federação Inglesa nomear alguém que não sabia falar inglês", começa por referir no seu livro.

A nível pessoal, Owen lembrou um episódio com Capello, que o deixou no banco num jogo e só o lançou a 10 minutos do final.

"A Imprensa estava em todo o lado a interrogar-me se ele me tinha explicado o porquê de me ter deixado no banco. Eles perceberam que eu não estava contente com a situação. Disse-lhes que ele não me tinha dito nada porque ele não sabia falar inglês. Na altura eu estava de mau humor", explicou.

A verdade é que a imprensa foi muito dura para com o italiano, que nunca mais voltou a apostar em Owen.

"Não só acabou com a minha carreira internacional, que eu tinha ganho com muito trabalho, como se tornou num dos piores selecionadores de Inglaterra. Na minha opinião, Fabio Capello causou danos catastróficos à minha carreira e ao futebol inglês em geral e foi bem pago para isso", acusou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.