Este sábado, o jornal croata 'Sportske Novosti' publicou a primeira entrevista de Luka Modric depois de ter vencido a Bola de Ouro no passado dia 3 de dezembro e de ter posto fim a uma hegemonia com dez anos que pertencia a Cristiano Ronaldo e Luka Modric.

O internacional croata começou exatamente por falar desse pormenor, ao dizer que "as coisas são muito simples, Cristiano Ronaldo e Messi são dois fenómenos que dominam o jogo há dez anos. Se votarmos pela qualidade do jogador, só podemos atribuir os troféus entre Messi e Cristiano. Mas  aqui estamos a falar de um rendimento temporal, durante uma temporada durante uma temporada, e os resultados são os votos de treinadores, jogadores, jornalistas. Ou eles estão todos errados?".

De seguida, Modric acrescentou ainda que "os prémios só ganham valor quando outros ganham. Não é justo para os jogadores, nem para os eleitores, nem para aqueles que foram nomeados entre os melhores durante os últimos dez anos. Não é justo para o futebol ou para os fãs."

Depois de receber o troféu, o jogador do Real Madrid foi alvo de várias críticas, nomeadamente por parte do treinador do Atlético de Madrid, Diego Simeone. Modric explicou que considera normal "o facto de Simeone defender que o seu jogador (Antoine Griezmann) é o melhor, mas é a necessidade constante de criticar o Real Madrid e os jogadores é desnecessária", acrescentando que o treinador argentino "aproveita todas as oportunidades que tem para insinuar situações que não são reais para explicar os triunfos do Real Madrid".

Apesar disso, Luka Modric garante ser um admirador do trabalho de Simeone. "Tenho um grande respeito por ele e por tudo o que tem feito no Atlético. Quando eles nos ganharam, o Real felicitou-os e, sinceramente, aceitámos a derrota na desportiva. Só não concordo com o facto de Simeone estar sempre a falar sobre o favoritismo do Real Madrid", concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.