Vários clubes reagiram aos efeitos do novo coronavirus, que suspendeu praticamente todos os campeonatos na Europa, refletindo no corte de salário dos seus atletas as previsíveis perdas com a paragem competitiva.

O Barcelona, bicampeão espanhol, anunciou uma redução de salários, os escoceses do Hearts convidaram os seus futebolistas a reduzir o vencimento para metade e vários clubes franceses e alemães privaram os atletas de parte do seu rendimento.

Juan Ignacio Dinenno, avançado dos mexicanos do Pumas, abordou a possível redução dos salários dos futebolistas, deixando uma pergunta no ar.

"Fala-se dos jogadores de futebol, mas eu perguntaria aos banqueiros, aos grandes empresários, aos que têm grandes postos nas multinacionais, se seriam capazes de reduzir o seu salário nesta situação. Os jogadores de futebol estão no centro das atenções porque são os mais populares, mas não se pode particularizar", defendeu o argentino.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.